Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Anel de Ruby

por Andrusca ღ, em 11.01.13

Quando sabíamos que a outra queria dizer alguma coisa, não pressionávamos, dávamos-lhe tempo até se sentir confortável para o fazer.

- Be… - acabei por murmurar, quando comi a última garfada de puré.

- Sim, Ruby?

- Tenho uma coisa para te dizer.

- Diz.

Respirei fundo e olhei para o relógio pendurado na parede, seguindo o ponteiro dos segundos por pouco tempo até me mentalizar que ia estar a dar uma “facada nas costas” da minha avó.

(...)

Ao fim de três dias mudei-me, e nem sequer me despedi da minha avó de um modo decente. Nesses três dias tínhamo-nos tornado distantes, como se fôssemos duas estranhas a morar por baixo do mesmo tecto.

Aquela casa de pedra acolheu-me como se eu sempre lá pertencesse. Fiquei no quarto de hóspedes, apesar de imaginar-me de noite a escapulir-me para o de Lewis. 

(...)

Sem me dar tempo para fazer nada, aproximou-se de mim com um ar intimidante – pelo menos intimidante para um miúdo de quinze anos – e parou mesmo juntinho a mim, a observar-me com uma expressão bastante séria.

- Vais-te arrepender seriamente de te teres mudado para cá – aquilo pareceu-me uma ameaça, mas afinal era um aviso.

 

Posto amanhã (:

1 comentário

Comentar post