Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Anel de Ruby

por Andrusca ღ, em 05.02.13

O mais frequente é vê-lo bêbedo, drogado até algumas vezes, sempre de mau feitio e sempre pronto a usar alguém como saco de pancada. Às vezes, entre chapadas e pontapés, dou por mim a pensar que já aguento, que o meu corpo vai quebrar, mas então lembro-me que, mesmo que isso aconteça, o meu espirito não pode quebrar. Fiz uma promessa a um rapazinho, e mesmo que não fizesse mais nada por toda a vida, iria honrar essa promessa. 

(...)

- Pára! Larga-me! – Gritava enquanto esperneava e tentava escapar – Pára Lewis, por favor pára!

Mas ele não me ligava. Num golpe de sorte consegui arranhar-lhe a cara, apanhando-lhe o canto do olho esquerdo, e ele logo se apressou a agarrar-me na mão com uma força brutal.

(...)

Quando sai da banheira fiquei horrorizava com o que via em frente ao espelho. Estava com um mau aspecto tremendo, tinha umas olheiras gigantes e hematomas espalhados pelo corpo, uns olhos sem qualquer faísca e um ar envelhecido uns dez anos. “Há mortos mais apresentáveis”, lembro-me de ter pensado.

(...)

- S… sim… - disse, aos gaguejos por causa dos soluços.

- “Ruby o que aconteceu? Fala comigo” – não consegui dizer nada – “Ruby por favor… O que é que ele fez desta vez”.

- Ele… ele… 

 

tomorrow maybe ;)

1 comentário

Comentar post