Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Together as One - The Second Part

por Andrusca ღ, em 13.05.11

E pronto, agora sim, chega ao fim.

Espero que tenham gostado da história ^^

 

Epílogo

 

Ellie

 

- Jess pára de implicar com o teu irmão! – Ralhei, enquanto verificava que não tinha deixado o jantar queimar, como ontem.

Doze anos haviam passado, e com eles muitos sonhos tinham sido realizados.

Ouvi a chave na porta e esta abriu-se em seguida, espreitei e vi-o a entrar e a pousar as chaves no chaveiro. Sorriu-me e dirigiu-se a mim, dando-me um beijo demorado.

- Como foi o dia no hospital? – Perguntou.

- Longo… aquelas crianças africanas finalmente chegaram, e por isso foi um dia de loucos… mas foi bom – um sorriso apareceu também nos meus lábios, nós íamos fazer boas coisas àquelas crianças, íamos tratar bem delas. E tinha sido uma proposta minha, a minha iniciativa. – E como foi o teu dia?

- Foi… normal, acho eu – respondeu, enquanto metia os pratos na mesa. Danny tinha-se tornado num comentador desportivo, algo que nunca o tinha imaginado a fazer, mas era o que gostava, e por isso apoiava-o.

- Mãe, ela não me deixa em paz! – Queixou-se Kyle, chegando chateado à cozinha, com Jess logo atrás dele a fazer-lhe caretas.

Isso mesmo, eu e o Danny sempre tivemos os nossos “minis nós”. São gémeos falsos, e por isso não são lá muito parecidos. A Jess é tal e qual como eu, mas apenas de aparência. Apesar dos seus sensíveis oito anos, aquela rapariga já se meteu em mais confusões que eu em toda a minha vida, é tal e qual o paizinho dela. Já Kyle é a cara chapada de Danny, mas é muito mais parecido comigo de feitio. Ao contrário da irmã, Kyle é sossegado e gosta de estar no seu canto, e por isso que às vezes eles se pegam tanto.

O Danny disse que desaparecia com a idade… mas eu continuo à espera disso.

- Jess, já te disse para não te meteres com o teu irmão – ralhei, pela milionésima vez hoje.

- Mas ele é tão… - mandei-lhe um olhar que a impediu de continuar com a frase.

- Jess, já falámos sobre isto – disse Danny.

- Eu sei pai, mas…

- Mas tu és estúpida – murmurou Kyle.

- Kyle! – Repreendemos eu e Danny, ao mesmo tempo, o que fez com que os “minis nós” se desmanchassem a rir.

- Seja como for meninos, hoje vão passar a noite à casa do tio Michael e da tia Rachel, ok? – Informei.

- Fixe! – Disse Jess, ao mesmo tempo que:

- Não! – Implorou Kyle. Estes são os meus filhos… sempre em concordância… - Ele faz-me ver futebol mãe! É tão chato! E não me deixa ler…

- Ninguém gosta de ler! – Disse Jess – Tu gostas porque és totó. E o tio Michael é fixe!

- Bem… Kyle, preferes ir para a casa da Felícia? – Perguntou Danny.

- Não, eu quero ir para a casa da tia Kathleen, ela deixa-me ler – disse o nosso filho. Kath era a “tia” preferida dele.

- Está bem, eu telefono-lhe – disse-lhe.

- És a maior mãe! – Disse, abraçando-me.

- És a maior mãe! – Gozou Jess, com uma voz toda distorcida e fininha, deitando a língua de fora em seguida.

 

(…)

 

- Finalmente! – Exclamei, quando me deixei sentar no sofá ao lado do meu marido, já depois de os miúdos terem ido embora.

Encostei-me a ele e ele começou com um beijo suave nos meus lábios, descendo em seguida para o meu pescoço.

- Estamos sem os miúdos – murmurou, de encontra à minha pele.

- Sim, pois estamos – Disse-lhe, retribuindo aos beijos.

No fim, apesar de todas as “guerras” e as discordâncias, acabámos juntos. Acabámos felizes. Acabámos rodeados e uma família maravilhosa e amigos únicos.

Agora não somos apenas como um, agora valemos muito mais.

 

Fim

 

 

Bem, tenho uma história nova, querem que poste a apresentação ainda hoje, ou só amanhã?

24 comentários

Comentar post

Pág. 1/3