Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Véu entre Mundos - Apresentação

por Andrusca ღ, em 27.08.11

Nicole "Nikki" Conrad

Aos 8 anos Nikki viu umas formas levarem o seu irmão gémeo, e desde então a sua vida nunca mais foi a mesma. A mãe morreu nesse mesmo dia, deixando-a assim órfã, e descobriu que possuía o dom de ver e comunicar com os mortos.

Desde então que Nikki viveu em casas adoptivas, mas nunca se esqueceu do irmão que lhe tinha sido retirado.

Aos 25 anos, Nikki decide voltar a casa para procurar melhor o irmão, pois não acredita que ele estivesse morto.

Após se meter num sarilho que envolve o FBI, conhece os agentes Fallon e Kohl, que mais tarde se revelam bons companheiros para a ajudar na sua busca.

Apesar de ao principio não se lembrar, acaba por descobrir que tinha um género de "história" com Fallon.

 

Hugh Conrad

Hugh foi raptado por uns seres em que não acreditava muito, aos 8 anos, e desde então ninguém o viu.

Mesmo naquela idade, a sua grande "paixão" era a irmã, e no momento da partida até lhe disse que não fizesse nada, para que não se magoasse.

 

Rick Fallon

Rick cresceu com Nikki e Hugh, mas como eles desapareceram quando ainda eram novos, não restaram muitas memórias. Desde cedo que Rick sempre disse que queria ser um agente do FBI, e conseguiu concretizar esse desejo. Através de uma travessura do destino, volta a reencontrar Nikki, e após várias conversas e trocas de ajudas resolve ajudá-la a procurar Hugh. Ele é a primeira pessoa a quem Nikki conta a verdade sobre o que consegue fazer, e apesar de ao principio achar que ela está a gozar com ele, acaba por acreditar seriamente nos fantasmas.

 

Frank

Frank é um fantasma que por alguma razão desenvolveu uma empatia por Nikki, e desde então que a ajuda na busca pelo irmão, fazendo várias investigações por conta própria. Ele é uma das grandes razões que faz com que Rick acredite em fantasmas.

 

Marty Kohl

Marty é o parceiro de Rick, no FBI. A primeiro impressão que Nikki tem dele está errada, e mais tarde tornam-se grandes amigos. Marty está sempre pronto para ajudar o próximo, mas leva o seu trabalho muito a sério, e quando está dentro da sala de interrogações é como se se transformasse numa fera.

 

Sheilla Fallon

Sheilla é irmã de Rick e melhor amiga de infância de Nikki, apesar de até a ver, não se recordar de tal. É casada com James e ambos têm dois filhos: Maggie e Jesse.

 

Eleanor & Albert Fallon

Pais de Rick e Sheilla. A diferença definitiva entre os dois é que Eleanor está bem viva, e Albert morreu de um cancro, mas isso não impede Nikki de os ver aos dois. É Eleanor quem primeiro se lembra de Nikki, e faz questão de se voltar a aproximar da antiga vizinha, que tantas vezes brincou com os seus filhos. Albert está habituado a vaguear pela casa e a vigiar a mulher, mas quando descobre que Nikki o consegue ver, é uma alegria, pois há muito tempo que não falava com ninguém.

 

 

Prefácio

 

Como todas as raparigas de oito anos, tudo o que queria era passar tempo com as minhas amigas e brincar, e pensava que a pior coisa que podia acontecer era ver alguém com uma boneca igual à minha ou que ela fosse roubada pelo meu vizinho irritante. Mas enganei-me. Há muitas outras coisas piores que essas.

Vi o meu irmão gémeo ser-me tirado por seres que nunca pensei existirem, e vi-os tão junto a mim que não sei como me aguentei. Mas eles não me quiseram.

No mesmo dia, perdi a minha mãe. Mas depois vi-a.

Esse foi o mesmo dia em que me tornei uma aberração. Há uma pessoa num milhão, que pode andar entre o mundo dos mortos e dos vivos.

Essa pessoa sou eu, e desde essa altura que o faço.

Vejo fantasmas. Vejo-os, falo com eles, e tento ajudá-los.

Mas isso faz com que outros me vejam como uma pessoa problemática que passa a vida a falar sozinha.

Como nunca conheci o meu pai, e porque vejo coisas que outras pessoas não vêem, passei o resto da minha adolescência em famílias adoptivas, que tristemente não foram muito boas para mim. Quando finalmente saí de lá, descobri que possuía uma riqueza até à altura desconhecida, por parte dos meus avós maternos, que tinham também morrido.

Com o passar dos anos a dor foi passando, mas uma coisa ficou: o desejo de encontrar o meu irmão. E isso nunca há-de mudar. Eu hei-de encontrar aqueles seres. Hei-de ter o meu irmão de novo comigo.

 

Então que acharam?

Não sei se meto o primeiro capítulo hoje, ou amanhã...

5 comentários

Comentar post