Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Milionário & Eu

por Andrusca ღ, em 29.12.11

É uma excepção... espero que gostem ^^

 

Parte 3 – Discussões

 

Melody vestiu o casaco preto, colocou a bandelete azul celeste no cabelo e, depois de agarrar na mala, desceu a escadaria da casa em que vivia. Encontrou-se com o pai na sala de jantar, onde tomaram o pequeno-almoço sem pressas.

- Queres que te leve à escola? – Perguntou-lhe ele.

Melody riu.

- Achas? – Perguntou, sabendo que o pai já sabia a resposta – Não quero armar um circo à entrada, esquece lá isso. Vou a pé, faz bem à saúde.

- Quando é que vais perder essa mania? – Peter não gostava muito que a filha andasse sozinha, mas no passado já a tentara fazer mudar de ideias e nunca conseguiu. Ela é teimosa, muito teimosa – Posso perfeitamente deixar-te…

- Pai, eu não vou no teu carro para a escola – ela cortou-lhe a palavra e ele suspirou – Gosto da minha vida como é, porque teimas em mudá-la?

- Era só…

- Não, não, não. Se me levasses todos iam ver o meu lindo transporte, iam fazer perguntas, iam chegar a conclusões, e o meu sossego ia acabar. Sabes porque é que a Tessie, a Sonny e o Elliot são os meus únicos amigos? Porque… vá lá, diz.

- Porque gostam de ti e não do teu dinheiro – disse ele, revirando os olhos – Eu nunca vi ninguém com vergonha de ser rico, palavra de honra.

Melody encolheu os ombros e continuou a comer. Sim, ela era rica, muito rica. O pai tinha tido bastante sorte enquanto novo e enriqueceu no seu trabalho, tornando-se bastante importante. Já a sua mãe apenas casou com ele por interesse, e ao fim de vários anos de casamento e muitas traições pelo meio, divorciaram-se quando Melody tinha dois anos. Ela não gosta que as pessoas saibam que tem dinheiro pois quer evitar essas situações. Os seus amigos serão sempre seus amigos, quer seja rica ou pobre, e por isso mesmo, quando se mudou para esta cidade, não disse a ninguém da fortuna que possuía. Além disso não gosta de atirar à cara de outros que é rica e eles são pobres, acha isso de muito mau carácter e seria incapaz de gozar com as pessoas dessa maneira.

 

*

 

- Não acredito que isso aconteceu mesmo! – Exclamou Tessie, completamente chocada.

- Quando desapareceste ontem logo depois das aulas estranhei, vi logo que tinha acontecido alguma coisa – continuou Sonny.

- E quando vimos os Three Stars então… - completou Elliot.

- Pronto, pronto, resumindo: esse rapaz é um idiota – disse Melody, enquanto caminhava com os amigos em direcção à zona de cafés/restaurantes onde costumavam almoçar, perto da escola.

- Ei! Ei! – Ouviram eles, vindo de trás. Voltaram-se quase ao mesmo tempo e viram Liam a correr naquela direcção. Melody revirou os olhos quando ele parou mesmo ao pé deles, mas os outros três estranharam porque não o conheciam – Iam almoçar?

- Sim… e tu és? – Perguntou Sonny.

- O Liam – apresentou-se ele, sorrindo – Ouve… Melody, é Melody, certo?

- Sim – respondeu a loira, enfadada – O que queres?

- Pensei sobre aquilo de ontem e tens toda a razão, eu fui um idiota. Deixa-me compensar-te, vamos almoçar fora, sim? Podemos ir todos.

- Não… não acho que seja boa ideia – recusou Melody.

- Oh, anda lá – insistiu Tessie – Não há problema.

- Sim, não sejas chata – concordou Elliot –, na volta ele não tem mais ninguém com quem almoçar.

Ao fim de longos minutos a tentar convencê-la, Melody finalmente disse que sim, ainda que contrariada. A ideia era comerem juntos num snack-bar e estavam todos animados até verem onde Liam os levou no seu Aston Martin. “Incrível, está cá há pouco mais de 24h e já conhece o restaurante mais caro da cidade”, pensou Melody desagradada.

- É aqui que vamos comer? – Perguntou, à porta do restaurante.

- Sim – Liam afirmou aquilo com um enorme sorriso de orelha a orelha.

- Ouve lá, mas tu achas que toda a gente pode suportar a despesa de vir comer a este restaurante? – Discutiu ela, a pensar na vergonha que os amigos deviam estar a sentir – Nem toda a gente anda com dezenas de dólares na carteira. Eu podia comprar vários conjuntos de roupa com o dinheiro que aqui se gasta por um bife!

- Eu sei, eu sei – confirmou Liam – Mas o bife vale a pena. E além disso o almoço hoje é por minha conta, para compensar aquilo de ontem.

Melody ficou perplexa a olhar para ele.

- Então deixa ver se percebi: tu compensas-me por te teres gabado do teu dinheiro como exactamente? Ah! A gabares-te de novo do teu dinheiro. É pena que não possas comprar um cérebro novo, bem precisas.

- Mel – ralhou Sonny –, deixa-o, ele não entende, não é culpa dele.

- Não entendo o quê? – Perguntou Liam, que não percebeu que ao tê-los levado ali e oferecido para pagar quatro almoços que quase chegavam ao valor de um ordenado os estava a ofender – O quê? Digam-me.

- Vamos embora, vamos comer ao café lá ao pé da escola – aconselhou Elliot.

- Sim, é melhor, senão daqui a nada chegamos tarde às aulas – disse Tessie.

- Mas…

- Não faz mal Liam – interrompeu-o Sonny – Ninguém fica chateado contigo, deixa lá.

Melody olhou para os amigos com pena. Ela sabia que pelo menos Sonny e Elliot tinham algumas dificuldades em casa, e também sabia que não gostavam de falar disso e que tinham pena de a vida ser assim. Mas também conhecia a parte orgulhosa deles, e por isso nunca se ofereceu para lhes dar nada de grande. Uma sandes aqui, um sumo ali, mas nada muito mais caro, até porque eles não aceitariam. Mas mesmo com pouco dinheiro, tanto um como o outro, estavam sempre dispostos a partilhar tudo com os outros. Era isso que ela amava neles.

Enquanto os amigos se aproximavam de um táxi que tinha acabado de parar, Melody ficou para trás ao pé de Liam, que não conseguia perceber o que se tinha acabado de passar.

- Tu és mesmo um idiota, não és?! – Acusou ela – Tens noção das dificuldades que as pessoas passam? Isto não é Hollywood, aqui não há só vedetas e pessoas ricas que andam em restaurantes cinco estrelas e conduzem carros topo de gama! Qual é o teu problema? Dá-te gozo mostrares, a gente menos rica, que tens dinheiro?!

- Eles exageraram – discutiu o rapaz – Era só um almoço, não lhes estava a comprar um carro.

- É uma questão de orgulho! Nunca compreenderias porque não o tens. Não tens orgulho, não tens compaixão, não tens nada. Só dinheiro na algibeira. E o facto de eles terem recusado este teu convite só mostra as boas pessoas que são e prova ainda mais o porquê de serem meus amigos! As pessoas normais não gastam dinheiro com a mesma frequência com que respiram Liam, não são como tu. As pessoas normais rezam para que ele não acabe antes do fim do mês.

- Mas eu não mandei ninguém pagar nada! Ofereci-me!

- É o mesmo que lhes chamares pobres! O mesmo que dizeres que não têm como se governar, que não valem nada!

Melody virou costas e entrou no táxi, com o resto dos amigos, deixando o loiro especado à porta do restaurante.

 

O próximo vem amanhã... se tiver 7 comentários (e bbé, é de pessoas diferentes, não só de ti xD)

36 comentários

Comentar post