Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Milionário & Eu

por Andrusca ღ, em 15.01.12

Parte 11 – O Menino Que Parou de Valorizar Tanto o Dinheiro

 

Melody, assim que viu quem se encontrava ao fundo do corredor, deu meia volta e optou por outro caminho para ir para a sala. As notícias de que Liam tinha recuperado a sua fortuna tinham corrido depressa, não fosse o rapaz ter usado logo o seu Aston Martin, e de novo toda a escola estava aos seus pés. Mas ela afastou-se logo dele, nem lhe deu tempo para escolher entre o dinheiro e ela, optou por “afastar-se graciosamente antes que maiores males viessem”, como tantas vezes repetiu a Tessie e a Sonny.

Quando as aulas finalmente terminaram por hoje, Melody dirigiu-se para o portão, sozinha, mas foi surpreendida por uma voz atrás de si:

- Mel! – Gritava. A loira voltou-se para trás e viu o milionário correr até ela de sorriso aberto – Uf! Pensava que não ia conseguir falar contigo hoje. Tens-me evitado a semana toda, o que se passa?

- Nada – afirmou ela, andando ao mesmo passo que ele. Ela sabia o que se passava, sabia perfeitamente a dor que sentia – Então, que tens feito?

- Bastantes coisas… - Melody formulou um sorriso falso e Liam notou, ele já a conhecia o suficiente para perceber quando está feliz de verdade – mas sinceramente não gostei de nenhuma. É estranho, os bifes do Melbury’s Place não são tão bons como me lembrava – Melody riu-se, e Liam encolheu os ombros – Estava a pensar que podíamos ir jantar à pizzaria, ou a uma hamburgueria qualquer. Nada de chique, ou requintado, ou caro, prometo.

- Eu… - ela queria aceitar. Talvez não estivesse tudo perdido afinal. Liam tinha finalmente aprendido alguma coisa – não posso, desculpa.

Ele não esperava aquela resposta. Não esperava, e sobretudo, não queria. Melody era a única pessoa de quem gostou verdadeiramente em toda a sua vida, e a única certeza que tinha era que a queria com ele. Não estava pronto para ser de novo abandonado ao bando de gente mesquinha e interesseira de que já não gostava.

- Mas… porquê?

- Eu… tenho… um encontro hoje – murmurou a rapariga, mordendo o lábio – Com o Harry.

- Oh… - Liam engoliu em seco e sentiu um aperto na garganta, mas recompôs-se e respirou fundo – Então espero que te divirtas.

 

*

 

- Não acredito que perdi isso – disse Harry, entre gargalhadas.

- É verdade! – Reforçou Melody, rindo-se também – Devias tê-lo visto Harry, foi lindo! Eu nunca pensei que o Liam fosse fazer aquilo, mas quando o vi chegar ao pé da Candace, com ela a fazer-se de boa com as coisas todas que ele lhe tinha comprado, e lhe pediu tudo de volta… ai olha, só sei que me desmanchei a rir naquele refeitório!

- Parece que se tornou um homenzinho, hã?

- Sim… - Melody respirou fundo e levou o copo de sumo à boca, lembrando-se de todos os bons momentos que passaram – E não só, ele fez coisas que eu nunca pensei que fizesse, juro. Sabes aquela fonte no jardim dele? Houve um dia que me convidou a ir lá a casa lanchar e nós estávamos na conversa e olha, nem sei o que lhe deu, começou a mandar-me com a água toda.

Todas as pessoas no restaurante olharam para a mesa deles, ao verem o vocalista dos Three Stars a rir tão alto e, sobretudo, num sítio simples.

- Eu disse-te que ele era uma boa pessoa – afirmou Harry – Já acabaste de comer? Vamos embora?

Melody assentiu com a cabeça e, depois de pagarem, encaminharam-se os dois para o carro dele, no qual entraram. Harry começou a conduzir sem dizer à loira para onde a levava. Estava com uma cara algo triste, mas também estava feliz por ver que ela se estava a dar bem com o seu melhor amigo. Bem demais, como ele pôde notar pelas conversas que ainda agora tiveram.

- Passa-se alguma coisa? – Perguntou-lhe ela.

Harry abanou a cabeça e desviou o olhar da estrada por poucos segundos, para olhar para ela e lhe sorrir.

- Já chegámos – anunciou.

Melody, que não estava a prestar a mínima atenção ao caminho, olhou pela janela e viu-se em frente aos portões grotescos da casa do loirinho.

- À casa do Liam? O que é que viemos cá fazer? – Perguntou ela, retirando o cinto de segurança. Harry repetiu-lhe o gesto e voltou-se parcialmente no banco, para ela.

- O que é que foste fazer hoje, ao sair comigo? – Questionou, deixando-a confusa – Mel, tu não querias lá estar…

- O quê? Deixa de ser parvo, claro que queria – disse ela – Porque dizes isso?

- Estás apaixonada por ele – Harry disse-o com uma voz muito calma, porém com um travo a tristeza. Melody engoliu em seco, sim, estava – Todo este tempo, nunca paraste de falar nele. Estás apaixonada por ele, Mel.

- Harry eu…

- Não precisas de dizer nada. Ele é o meu melhor amigo, eu sei o tipo porreiro que é – descansou-a ele. Porém a rapariga respirou fundo e engoliu em seco.

- Não percebo – confidenciou – Aqui estás tu, um rapaz simpático, bonito, que se diverte do mesmo modo que eu, que… e no entanto, não consigo gostar de ti como gosto dele…

Harry alcançou as mãos da rapariga e apertou-as.

- Nós não escolhemos – afirmou – O coração quer o que o coração quer. Eu gosto muito de ti Mel, e é por isso que também fico feliz que gostes do Liam da maneira como sei que ele gosta de ti.

“Ele gosta?”, perguntou-se ela, corando levemente.

- Porquê? – Perguntou-lhe.

- As coisas connosco seriam mil vezes mais complicadas… eu raramente cá estaria para te acompanhar. Parto na semana que vem.

- O quê? – Melody chegou-se mais ao pé dele – Para onde?

- Numa tour. Doze países. Vai ser bestial – a rapariga sorriu, e Harry revirou os olhos – Agora sai do meu carro e vai-te entender com o meu melhor amigo, sim?

Melody abraçou-o com força e sorriu-lhe, ao abrir a porta do carro.

- Vou ter saudades tuas, Harry – garantiu, fechando a porta.

- E eu tuas – Disse ele, já sem que ela o ouvisse, arrancando com o carro.

Melody olhou para a casa, que se estendia ainda longe do portão, e sentiu um calafrio. Tinha o coração aos pulos e estava a começar a ficar bastante nervosa. Tocou à campainha e foi um dos empregados quem abriu o portão, porém já quando ia a meio caminho em direcção à porta da casa, viu Liam sair por lá, com um ar confuso.

- O que estás aqui a fazer? – Perguntou ele.

- Eu… o Harry… Liam, preciso que me digas uma coisa – balbuciou ela, agarrando-o pela mão e puxando-o até ao pé da fonte, onde se sentaram – Eu acho que posso estar… não, eu sei que estou… eu gosto muito de ti, Liam.

O rapaz sorriu.

- E que precisas que te diga? – Perguntou-lhe.

- Se tu…

- Espera – ele começou a remexer no bolso do casaco e tirou de lá uma caixinha azul escura, que inclinou na direcção da loira –, é para ti.

Ao ver de onde a caixa era, de uma das joalharias mais caras do mundo, Melody sentiu-se a perder a paciência e levantou-se bruscamente. “Não acredito que acabei de dizer a esta criatura que gostava dela”, pensava ela, sem acreditar no que os seus olhos viam.

- Mas o que é que se passa contigo?! A sério?! Sabes que mais? Eu tentei. Tentei tornar-te num ser humano decente mas não consigo. Desisto, fica lá com o teu dinheiro, e as jóias, e…

- Cala-te e abre lá essa porcaria! – Disse Liam, levantando-se também e passando-lhe a caixa para as mãos.

A loira agarrou nela contrariada e, enquanto revirava os olhos, abriu-a para verificar que se encontrava exactamente vazia. Olhou para o rapaz com um ar confuso, e ele apenas sorriu.

- Ter-te-ia dado o mundo se o pedisses – afirmou ele – Todas as jóias que quisesses, casas aqui e ali, viagens aos sítios mais paradisíacos do mundo. Mas escolhi não te dar nada porque sei que mesmo assim vais continuar comigo. É isso que gosto em ti, nunca pedes nada dos outros. Também estou apaixonado por ti, Mel.

Melody deixou que a caixa caísse no chão e abraçou Liam com a maior força que tinha, depositando-lhe depois um beijo suave nos lábios, fazendo-o também sorrir.

- És minha namorada? – Perguntou ele.

- Sim… sou – disse ela, rindo-se, ainda com a cara quase colada à do rapaz. Mas depois o sorriso apaixonado deu lugar a um de trocista, e Liam franziu o nariz – Mas sabes, o meu aniversário é para a semana. Vamos ver… eu quero um colar de diamantes exclusivo, é bom que metas já alguém a tratar disso, um vestido novo e… ah! Já sei! Irmos jantar a Londres! Que me dizes, vamos?

Ele olhou para ela confuso, mas depois desatou-se a rir.

- Estás a gozar, certo? – Perguntou-lhe.

Melody revirou os olhos e encolheu os ombros.

- Oh, bem, já combinei uma ida à pizzaria com direito a bowling a seguir, por isso se calhar é melhor não irmos a lado nenhum… - disse ela, como se fosse um enorme sacrifício.

De novo, Liam juntou os seus lábios aos de Melody, e sorriu-lhe. Ela tinha-lhe mostrado que dinheiro não era tudo. Sim, era importante, mas havia coisas que eram igualmente importantes e que ele estava a deixar para trás. E graças a ela, nunca mais deixaria.

 

Fim

 

Então, que tal?

5 comentários

Comentar post