Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sob o Luar

por Andrusca ღ, em 15.04.12

Capítulo 2 – Um Fim-de-semana Chuvoso

 

A porta do quarto de Amanda, decorado com tons de rosas e prateados, abriu-se e silenciosamente começaram a andar pelo chão de madeira em bicos de pés. Era sábado de manhã, e na noite anterior Amanda tinha chegado já bastante tarde. Os pais já dormiam, tal como o irmão.

A rapariga, deitada adormecida na sua cama bastante confortável, resmungou qualquer coisa devido a sonho que devia estar a ter, e revirou-se.

- Acorda! – Jim, o seu irmão, saltou para cima da cama e berrou, fazendo com que ela acordasse alarmada.

- És um idiota! – Reclamou, dando-lhe com a almofada – Credo Jim! – Jim começou a rir às gargalhadas e a destapar a irmã, enquanto ela cada vez mais puxava o lençol e o cobertor para tapar a cabeça – Deixa-me em paz!

- Credo maninha, que mau humor matinal – brincou Jim, à medida que se levantava da cama – Desgraçado do homem que acordar ao teu lado todas as manhãs.

- Se dizes que é desgraçado, porque teimas em vir para a minha cama todos os sábados? – Resmungou ela, de olhos entreabertos.

Jim revirou os olhos. Ela tinha razão.

- Os pais vão passear com os vizinhos. Vão estar fora o dia todo – informou – Pensei que talvez quisesses vir dar uma volta comigo, o Dean e o Darryl.

Amanda bocejou e sentou-se na cama, de pernas cruzadas.

- O que propões? Está a chover Jim, nem penses que vou andar por aí às voltas.

- Nada disso – ele riu-se – Estávamos a pensar ir ao centro comercial, ao cinema. Estreou um filme novo que parece ser demais!

Amanda suspirou. Ela gostava de Darryl, o irmão de Dean. Pelo menos não lhe parecia convencido e chato. Sempre se deram bem.

- Pode ser.

Levantou-se e arrastou-se até à casa de banho, onde encheu a banheira e tomou banho. Depois voltou para o quarto, onde já não estava Jim, e vestiu umas calças justas e uma blusa de manga comprida, fininha. Calçou uns ténis e só então regressou à casa de banho, onde enxugou e penteou o cabelo. Ouviu a campainha, os amigos do irmão já tinham chegado. Apressou-se a tirar um casaco do roupeiro, juntamente com um guarda-chuva, e desceu as escadas da sua pequena vivenda de rés-do-chão e primeiro andar. Ouviu vozes vindas da sala e, mal espreitou, viu-os sentados no sofá.

- Estou despachada – declarou, fazendo com que as atenções se voltassem para si.

Darryl, que estava mais perto dela, levantou-se e deu-lhe um abraço forte, rodopiando-a no ar.

- Há tempos que não te via, miúda! – Disse ele, depositando-lhe um beijo na bochecha – Estás cada vez mais gira.

Amanda riu-se e abanou a cabeça. Sim, de Darryl ela gostava.

- Darryl Finnighan, tu nunca mudas – disse ela. Eles já não se viam há algumas semanas, devido ao trabalho da faculdade.

- Mandy Bridget, estás-te a queixar? – Perguntou ele, fingindo-se de ofendido.

- Anda lá, oh chato – disse ela, rindo-se.

Começou a dirigir-se para a porta, e depois de todos terem saído trancou-a.

- Tens a tua mota de volta – disse, para Dean, vendo a mota do rapaz estacionada à sua porta.

- Sim, fui buscá-la mesmo há bocado – explicou ele – Mas estava a pensar se não seria boa ideia irmos todos no carro do teu irmão.

Assim que o disse, Dean olhou para o céu, e todos fizeram o mesmo. As nuvens do dia anterior continuavam lá, escuras como tudo.

Foram então no carro de Jim, um carro já um pouco velhinho mas em perfeito estado. O centro comercial estava cheio, afinal, toda a gente vai para lá quando o tempo não é bom para passear. Tiraram os bilhetes para a sessão da tarde e ficaram a dar uma volta pelas lojas até à hora do almoço. Depois comeram pizza, e só uma hora depois é que se dirigiram de novo ao local dos cinemas.

Darryl e Jim “fugiram” e deixaram Amanda na fila das pipocas e das bebidas com Dean.

- Então, porque é que não trouxeste o teu namorado? Podias tê-lo convidado – Dean fez uma tentativa de meter conversa, e Amanda olhou para ele e sorriu levemente.

- Se prestasses alguma atenção aos detalhes, percebias que estou solteira há três meses – disse-lhe.

- Ah… - Dean calou-se, e Amanda suspirou.

Chegou a vez de eles pedirem, e após o vendedor perguntar o que iam desejar Dean não deixou que Amanda falasse.

- São quatro pacotes de pipocas, três Coca-Colas e um Ice Tea de Manga – em seguida inclinou-se para Amanda e piscou-lhe o olho, sussurrando: - Porque sei que não gostas de sumos com gás, e que Ice Tea de Manga é a bebida preferida. Eu presto atenção.

A rapariga engoliu em seco e ficou sem resposta. Depois de pagarem dirigiram-se para a sala de cinema a deram as coisas aos irmãos, sentando-se depois nos lugares certos. Assim que se sentou, Amanda arrependeu-se. Era um daqueles filmes chatos, de guerras para aqui e guerras para acolá. Olhou para os três rapazes: estavam os três fascinados. “Eu nunca vou perceber isto”, pensou para si.

Foi um alívio quando os créditos finais apareceram, e Amanda foi logo das primeiras a levantar-se e a sair.

- Que tédio! – Reclamou, sem que nenhum dos rapazes lhe prestasse atenção.

- Foi tão fixe! – Disse Darryl – E aquela parte do esquadrão de bombas? Foi brutal!

- E quando o principal não conseguia passar pelo pântano?! Foi a melhor parte – discutia Dean.

A rapariga suspirou.

Andaram até ao carro e dirigiram-se para casa dela. Assim que lá chegaram começou a chover bastante. Eram pingas grossas misturadas com granito, e os irmãos Finnighan foram forçados a entrar. Passaram-se horas, a chuva não havia meio de cessar. Estava cada vez mais escuro, e ela vinha com cada vez mais força. O telefone fixo tocou, e quem o atendeu foi Amanda.

- Estou?

- “Filha!” – Exclamou-lhe a mãe, do outro lado da linha – “Olha, a mãe e o pai vão ficar num hotel, com os vizinhos. Está um temporal horrível, é perigosíssimo regressarmos assim. Vocês ficam bem?”

Amanda engoliu em seco.

- Sim, ficamos bem.

- “Voltamos amanhã, está bem querida? Portem-se bem e não façam disparates”.

Depois de desligar, Amanda disse ao irmão e aos amigos o que os pais tinham dito.

- E vocês também não podem ir para casa com este tempo – disse Jim, para Darryl e Dean – Telefonem, digam que ficam cá esta noite. Amanhã o tempo já deve estar melhor.

Amanda trocou um breve olhar com Dean e suspirou. “Precisamente o que precisava para o dia ficar melhor”, resmungou em pensamento.

 

Então pessoal? Os comentários do capítulo anterior fizeram puff?

Vá lá, não sejam preguiçosos ;)

7 comentários

Comentar post