Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sob o Luar

por Andrusca ღ, em 14.07.12

Capítulo 12 – Papéis Trocados

 

Apesar de terem regressado a casa, o Verão continuava, e o grupo de amigos tinha que arranjar maneiras para passar o tempo. Carry e Toby iam muitas vezes à praia com Dean, sem Amanda, e com Amanda, sem Dean. Estavam divididos entre os dois amigos, que poucas vezes se tinham cruzado nas últimas duas semanas. Eram eles que relatavam aos amigos como o outro ia. Dean perguntava sempre por Amanda, queria saber se ela estava a “melhorar”, se já tinha voltado a ter aquele sorriso lindo nos lábios, mas a rapariga esforçava-se ao máximo para não perguntar por ele. Não se queria preocupar com ele e, acima de tudo, não queria que os outros percebessem que ainda se preocupava. Carry e Toby tinham, no entanto, observado algumas diferenças nos amigos.

- Onde é que queres ir? – Perguntou Toby. Estavam os dois no parque, ele sentado num dos bancos e Carry deitada, com a cabeça apoiada no seu colo.

A tarde estava quente, e Dean tinha decidido ficar em casa hoje, enquanto Amanda ainda não tinha falado com eles. Decidiram portanto que o dia seria deles e usado para namorarem à vontade.

- Não sei – disse ela, enquanto via as folhas das árvores a mexer devido ao vento. Depois de suspirar inclinou a cabeça para olhar nos olhos do namorado e limitou-se a falar, sabendo que ele ia perceber de que se tratava – Estou cansada desta situação… queria ir dar uma volta com os nossos amigos. Todos.

O namorado não parou de lhe mexer no cabelo, porém respirou fundo. Sim, ele tinha percebido qual era o assunto de que ela falava, e sentia precisamente o mesmo.

- Sim, isso seria bom – confidenciou – Quando eles começaram a andar nunca pensei que fosse assim que acabava…

- Sim, nem eu. – Carry levantou o tronco e ficou sentada ao lado dele, olhando-lhe directamente – E o mais estranho é que… não sei, é como se…

- Os estejamos a perder – a rapariga abriu mais os olhos devido ao espanto que sentiu pelo facto de o namorado ter conseguido dizer exactamente o que ela pensava.

- Exacto! A Mandy tem estado tão estranha… ela finge que está bem, mas não está… e, mais que tudo, já não é a Mandy que conheço há anos.

- É como se eles tivessem…

- Trocado de papéis – desta vez foi Toby o apanhado desprevenido mas, a disfarçar a surpresa, assentiu com a cabeça e deixou-a prosseguir – Antes o Dean só andava era em festas, e com uma rapariga diferente debaixo do braço todas as semanas e agora anda calmo, não fala muito, não gosta de estar rodeado de pessoas e às vezes até se afasta para estar sozinho.

Desde que regressara a casa que Dean tem andado mais reservado. Antes não percebia o que Amanda gostava em estar sozinha, mas agora sentia-se bem num momento só para si, só com os seus pensamentos, sem ninguém à volta. Sentia-se livre de todos.

- Está a sofrer.

- Eu sei querido, mas acho que ele assim, sem estar todo armado em macho e atiradiço, é muito melhor do que era antes. Mas estou preocupada com a Mandy.

- A que horas é que ela chegou a casa, ontem?

Carry engoliu em seco, recordando a noite anterior. Tinha passado o dia nas compras, com a amiga, e tinha notado que, tal como desde que viera do acampamento, Amanda estava a agir de um modo frio e distante. Chegaram a casa às sete da tarde, e Amanda convidou-a para jantar lá, convite esse que ela aceitou. Jantaram só as duas pois os pais de Amanda tinham que trabalhar até tarde e Jim tinha ido sair com o irmão de Dean, Darryl. Entraram depois numa pequena discussão sobre o que fariam depois de comerem, e Amanda levou a sua ideia adiante. Carry observou a amiga a vestir o vestido mais curto que tinha no armário – um cai-cai preto, muito acima do joelho e bastante pegado ao corpo – e a calçar umas sandálias de salto alto para, depois, arranjar o cabelo e maquilhar-se profissionalmente. Seguiram as duas para a discoteca, Carry com a roupa que tinha usado durante todo o dia – umas calças pretas e um top –, e entraram logo assim que chegaram. A música estava ao rubro, as pessoas dançavam de todas as maneiras e feitios e o bar estava cheio de gente a pedir bebidas. Foi logo para lá que Amanda se dirigiu e, poucos minutos depois, já tinha bebido todo o seu copo de vodka preta. Uns rapazes vieram meter-se com ela e, apesar de Carry os ter dispensado na hora, Amanda decidiu ir dançar com eles e abandonou-a ao pé do bar. Carry viu a amiga “esfregar-se” nos corpos dos dois rapazes e, pela primeira vez, teve vergonha dela. Aquela não era a sua Amanda. “Mandy, vamos embora”, dissera-lhe. “Não sejas chata Carry, eu quero divertir-me!”, respondera Amanda, já no seu quarto copo de vodka. Foi nessa altura que ambas entraram numa discussão e Carry decidiu vir embora, por volta das duas da manhã, dizendo-lhe apenas que lhe mandasse uma mensagem quando chegasse a casa.

- Não me mandou mensagem nenhuma – respondeu Carry ao namorado – Hoje de manhã telefonei-lhe, mas foi o Jim que atendeu. Disse-me que chegou às seis da manhã, podre de bêbeda… a sorte dela foi os pais já estarem a dormir e Jim lhes ter dito que ela lhe tinha dito que ia ficar na minha casa a ver um filme até tarde.

- Ela está a ficar fora de controlo… já falaste com ela?

- Não… e sinceramente não sei o que falar. Ela está a tornar-se numa pessoa completamente… fria… e insensível. Quero a minha amiga de volta, Toby.

- Eu sei, também eu. Achas… - Toby calou-se antes de continuar, não sabia o que Carry iria achar daquela ideia – Achas que devíamos contar ao Dean o que se está a passar com ela? Sempre que ele pergunta por ela, dizemos que está tudo bem, mas e se por uma vez não lhe mentíssemos? Eu acho que ele tem o direito de saber o que se passa com ela, afinal ainda está apaixonado por ela.

- Eu sei que ele não fez nada, mas ela está assim por culpa do que aconteceu e, parcialmente, por culpa dele – declarou Carry –, mas sim, acho que tens razão, ele devia saber.

 

Desculpem a demora, cá está ele :p

Espero que gostem, e deixem comentários

6 comentários

Comentar post