Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sob o Luar

por Andrusca ღ, em 04.08.12

Capítulo 15 – O Fim das Férias

 

As férias de Verão tinham passado num fechar de olhos, e numa semana a escola começaria de novo. Amanda andava às compras. Procurava cadernos, canetas coloridas, lapiseiras… tudo o que se tem que comprar cada vez que um novo ano lectivo começa. Normalmente fazia sempre este tipo de compras com Carry, mas este ano andava sozinha pela papelaria.

- Olhem quem aqui está! – Ouviu, por trás de si. Sorriu interiormente ao ouvir aquela voz e voltou-se ela, indo na sua direcção.

- A comprar coisas da escola? Que estranho – comentou ela, rindo-se.

Anthony Carrera riu-se. Ela continuava a não gostar dele. Continuava a achá-lo um mulherengo sem coração. Uma pessoa detestável. Mas, pelo menos, agora começava a divertir-se com ele.

- A minha miúda preferida – disse ele, dando-lhe um beijo na ponta dos lábios.

Antes era impensável um rapaz como Anthony Carrera namorar com alguém como Amanda. Mas desde que a rapariga mudara, desde que começara a vestir roupas provocantes e a ter uma atitude mais rebelde, arrogante e sarcástica, que se tornou oficialmente na sua presa. E nem sequer lhe deu muita luta, foi facilmente “caçada”. Ela sabia que estar com ele ia chatear Dean até ao máximo, e estava determinada a fazer isso acontecer, ainda que afirmasse que não queria saber dele para nada.

- Ouve, tenho que me despachar – disse ela. Afinal, não havia ninguém lá à volta, não precisava de estar ao pé dele sem que houvesse alguém para testemunhar e passar a palavra –, vemo-nos na escola, está bem?

- Estou ansioso! – Gritou ele, enquanto ela já se afastava – Ei, Amanda! Ouvi que puseram mais armários de arrumações na escola. Temos que os ir experimentar! – A rapariga, que se tinha voltado para ele ao ouvir o seu nome, apenas assentiu com a cabeça e seguiu o seu caminho. “Que classe”, pensou. Os armários da escola eram mais conhecidos como serem os sítios onde os casais mais “fogosos” se refugiavam para obterem algum tempo a sós. Eram onde Anthony fazia o que queria com as raparigas e depois as dispensava. Essa era a grande diferença entre Anthony e Dean. Ambos eram namoradeiros, mas enquanto Anthony não tinha qualquer pingo de dignidade ou compaixão, Dean conseguia sempre sair com um bocadinho mais de classe das relações. Podia apenas estar com uma rapariga por uma semana, ou três dias, mas fazia desses dias os melhores da vida dela. Amanda sabia-o bem afinal, apesar de toda a mágoa e ressentimento, os tempos em que ambos estiveram juntos foram mesmo os melhores da sua vida.

 

 

O despertador tocou e Dean forçou-se a desligá-lo. O quanto queria poder continuar naquela cama a dormir descansado. Mas não podia ser, hoje era o primeiro dia de aulas e, se não se despachasse, acabaria por chegar atrasado. Além disso, tinha curiosidade em ver como Amanda se comportaria lá dentro. Se seria de novo a rapariga quieta e calada, ou se agiria como a pequena rebelde que se tornara.

Levantou-se e arrastou-se até à casa de banho, onde tomou um duche e vestiu umas calças de ganga e uma t-shirt. O irmão e os pais saíram antes dele, e por isso tomou o pequeno-almoço sozinho. Seguiu depois para a escola, e encontrou-se com Toby e Carry ao pé do portão. Ficaram lá um pouco, a socializar e a ver os colegas que regressavam das férias. Uns vinham mais morenos, outros continuavam os mesmos “fantasmas” de sempre. Dean estava expectante, queria ver a antiga namorada e averiguar se ela viria, ou não, acompanhada por alguém. Ele esperava que ela chegasse com Anthony, ou que ele fosse a primeira pessoa que ela cumprimentasse, já se tinha mentalizado disso mas, mesmo assim, quando isso acontecesse teria que reunir todas as suas forças para conseguir sequer estar em pé.

Finalmente ela chegou. Jim tinha-a deixado a uns quantos metros, e ela tinha seguido a partir daí a pé. Trazia uns calções minúsculos e um top que mostrava um pouco da barriga, calçava uns ténis e tinha o cabelo preso num rabo-de-cavalo bem alto. Parou para cumprimentar um grupo de raparigas e depois voltou à sua marcha. Assim que pousou com os olhos no grupo à sua frente, engoliu em seco e parou de andar. Queria ir até aos amigos, mas Dean estar ali retraía-a um pouco. Mesmo assim, recompôs-se e andou até lá.

- Bom dia – cumprimentou.

Carry estranhou a atitude da amiga, visto que há já algumas semanas que não falavam muito, mas retorquiu-lhe o cumprimento com um sorriso.

- Como estás? – Perguntou Dean, com a voz firme. Amanda olhou para ele e lembrou-se daquela noite, há já vários dias atrás, na discoteca. Sabia que se não fosse por ele e Toby, algo mau teria certamente acontecido, mas por alguma razão não se deixava agradecer. Orgulho? Teimosia? Fosse o que fosse, nunca mais tinha falado com nenhum deles desde então, até este momento.

- Bem – as palavras não foram muitas, e a conversa ficou por ali. Nunca antes o ambiente tinha ficado pesado entre aqueles os quatro, e estava prestes a piorar.

Daisy, que tinha ido passar o resto das férias ao estrangeiro, acabara de estacionar o seu carro e dirigia-se agora também para aquele sítio. Dean ainda não a podia ver à frente, e Amanda estava-lhe com uma raiva enorme, mas mesmo assim mantiveram-se quietos.

- Olá pessoal! – Exclamou ela, não recebendo qualquer cumprimento da parte de nenhum deles. Amanda estava diferente, mas mesmo assim Daisy ainda era mais odiável – Credo, parece que houve algum funeral ou assim. Animem-se, pode ser o regresso às aulas, mas para a semana há o baile.

- Podia ter havido… - murmurou Amanda, entre dentes, “se eu te tivesse esganado quando tive a oportunidade”.

Ah pois, o baile. Todos os anos, na segunda sexta-feira de aulas, havia um baile para motivar os alunos, e Daisy era a organizadora e a que mais gostava de tudo aquilo.

- Pois é – disse Carry, sem entusiasmo. Não é que não gostasse também do baile, mas este ano, sem ter a “sua Mandy”, não iria ser a mesma coisa.

- Querem saber o tema deste ano? – Daisy não os deixou sequer pensar – “Sob o Luar”. Parece giro, não?

Dean revirou os olhos. Parecia-lhe piroso, e horrível, e chato. Apesar de adorar festas, sempre detestou os bailes do liceu.

Ao longe outra figura começou a surgir. Era Anthony, que vinha acompanhado com alguns dos seus amigos. Aproximava-se a passos largos, e parou mesmo em frente de Dean, oferecendo-lhe um sorriso cínico antes de dar um longo beijo a Amanda. Dean ia atacá-lo, esmurrá-lo, empurrá-lo e afastá-lo dela à força, mas Toby, vendo logo onde a situação iria dar, colocou-lhe logo o braço à frente e deitou-lhe um olhar que lhe dizia para se acalmar.

- Vamos para dentro, boneca? – Perguntou Anthony.

Amanda ainda olhou para os amigos. Carry desejava com todas as forças que ela recusasse; Toby temia que o amigo perdesse o controlo; Dean não sabia o que pensar; e Daisy queria que ela fosse, para que o outro percebesse que tinha mesmo tudo acabado e se pudesse virar para o lado dela.

- Vamos – Acabou Amanda por responder, sorrindo-lhe levemente.


Ora bem:

Quero pedir desculpa por não estar a retribuir os comentários, mas é para poupar a net.

Quero agradecer às minhas novas leitoras, e dizer que espero que continuem a gostar a história e que, assim que regressar das férias, dou um pulinho nos vossos blogs

Quero dizer que tenho recebido as vossas histórias, e que já li algumas e estou a adorar (deixo-vos os comentários para a semana, quando voltar), e please continuem a mandá-las.

Esta história está quase a acabar, devem faltar uns 3/4 capítulos

O próximo agora só deve chegar para o próximo sábado

Beijinhos ^^

6 comentários

Comentar post