Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Spotlight

por Andrusca ღ, em 02.12.10

Capítulo 4

Hidratos de Carbono * Parte 1

 

Alyson

 

Ao sair do café deparei-me com dois rapazes lindos a passar a estrada para a rua onde eu estava. Eram lindos. Um era mais alto – apesar de serem ambos altíssimos – mas o mais baixo despertou-me um interesse especial. Eram ambos morenos e com o cabelo curto, e vestiam apenas calções e t-shirts, o que me fez arrepiar.

O rapaz mais baixo – mas mesmo assim mais alto que eu – olhou para mim e pareceu que tinha levado um choque. Não sei porquê, mas fiquei presa no seu olhar. Puxava-me para ele, e do nada era como se nada mais existisse. Apenas aqueles lindos olhos castanhos que me observavam.

Senti uma coisa que nunca antes tinha sentido, era como se não me conseguisse afastar.

Vi o outro rapaz abaná-lo e ele pareceu “acordar” do transe em que ambos estávamos dentro, o que me fez também despertar. Eles murmuraram qualquer coisa um para o outro, mas eu já não podia ficar aqui parada mais tempo. Era ridículo. Tirei os meus olhos dos dele com dificuldade e virei-me logo para que não me voltasse a perder no seu olhar. Comecei a caminhar lentamente enquanto lutava por dentro contra a vontade de me virar e de olhar de novo para ele, e então senti um toque no ombro, cedi, e virei-me. Era ele. Devemos ter ficado os dois parados durante alguns segundos sem dizermos nada, apenas a olharmos um para o outro.

- Precisas de alguma coisa? – Perguntei, fazendo um esforço enorme para controlar o nervosismo que sentia. Porque raios me sentia tão nervosa ao pé de um tipo que nem conheço?

- Hã? Não. Quer dizer, sim – pelos vistos não sou a única que está nervosa, ele parece estar à beira de um ataque – Eu sou o Seth Clearwater.

- Ok… - não sabia mesmo que mais dizer.

- E tu? Como é que te chamas? – O quê? Ele não sabia mesmo? Não me tinha interceptado por ser um fã a pedir um autógrafo ou assim?

- Eu sou a Alyson Shepherd – disse-lhe.

- Prazer em conhecer-te – franzi o sobrolho. Ele estava mesmo a falar a sério?

- O que foi? Disse alguma coisa que não devia?

- Hum… não, só fiquei surpreendida por não saberes quem sou porque…

- Olhem, ela está ali! – Ouvi. Olhei para o lado e vi três homens praticamente a correrem na minha direcção com máquinas fotográficas.

- Raios, anda lá! – Não sei porquê, mas agarrei na mão de Seth, o que causou um calor enorme dentro de mim, e puxei-o.

- Onde é que vamos? E porque é que estamos a fugir? – Perguntou-me, enquanto corríamos.

- Para um hotel. Depois explico melhor.

E simplesmente assim, ele seguiu-me. Entrámos para o hotel e fechámos a porta da suite. O meu pai ainda não tinha chegado.

- Desculpa, Alyson, o que é que aconteceu? – Perguntou-me.

- Olha para mim – pedi – Olha bem.

- O que foi?

- Não me reconheces? – Insisti. Será que aqui não há cinemas nem se lêem revistas?

- Hum… suponho que sejas famosa.

- Sou uma actriz – disse, quando vi que ele não sabia mesmo quem era.

- Oh, isso explica tudo – disse baixo, mas eu ouvi.

- Como assim?

- Eu só… quero dizer que… bem, és bonita, só isso.

Sorri e senti-me a corar. O que é que se estava a passar comigo? Eu nunca coro.

Olhei pela janela e vi mais de cinco paparazzis à porta do hotel.

- Eles nunca desistem? – Perguntou Seth.

- Raramente.

Só então reparei na sua pele bronzeada. Não era aquele bronzeado de passar horas ao sol, era um tom de pele natural que lhe ficava a matar.

- Então, o que é que fazemos até se irem embora? – Perguntou Seth.

- Bem… - agarrei na minha mala e tirei de lá a tablete – podíamos ver televisão…

- Vais comer isso? – Apontou para a tablete.

- Vou.

- Mas… então e os hidratos de carbono? Eu pensava que as actrizes ligavam muito à linha e isso tudo…

- E ligamos…

- Mas vais comer chocolate na mesma.

- Ok, mas não está aqui ninguém, por isso se tu não disseres nada, ninguém nunca saberá… então para o resto do mundo, eu nunca comi nada.

- Hum…

- Fazemos assim, eu dou-te meia tablete, e fica um segredo – sorri.

- Combinado.

Sentámo-nos na mesa de vidro da sala e partimos a tablete a meio, e começámos a conversar. Era fácil conversar com Seth, fazia-me sentir bem, quase normal. Ele não ligava que eu fosse actriz. Não ligava que fosse famosa. Nem rica. E eu gostava disso nele.

28 comentários

Comentar post

Pág. 1/2