Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Spotlight

por Andrusca ღ, em 05.12.10

Capítulo 9

Lendas

 

Alyson

 

Quando cheguei à casa de Emily, já só lá estava Seth à minha espera. À medida que me ia aproximando, o seu sorriso ia alargando, e consequentemente, o meu também.

- Estou muito atrasada? – Perguntei. Que pergunta idiota, claro que estou, senão ainda cá estava o resto dos amigos dele.

- Não, eles já foram mas foi só para tratar das coisas.

- Tratar das coisas… que tipo de festa é que é? É que eu não vim lá muito arranjada…

- Não, estás perfeita! – Senti-me corar e ele sorriu meio envergonhado também – Quer dizer… é uma festa simples. Nem sei se pode ser intitulada de festa…

- Então o que é?

- Vem comigo e descobres.

Piscou-me o olho e começou a andar. Caminhei ao lado dele e entrámos no bosque. Eu devo andar louca por entrar num bosque com um rapaz que mal conheço, ainda por cima de noite, quando não parece haver mais ninguém por perto. Mas ele tem esse efeito sobre mim. Comecei a tremer. Bolas, mas será que há algum sítio neste pequeno mas bom fim de mundo que seja quente?

- Estás com frio? – Perguntou-me Seth.

- Sim, um pouco – disse-lhe, arrepiando-me de novo.

Ele pôs o seu braço à minha volta e senti um choque enorme. Primeiro senti-me nas nuvens. Depois de volta à terra. E depois notei que ele estava a ferver. Não é de admirar que nunca tenha frio.

 

Seth

 

Ao pôr o meu braço à volta dela senti um turbilhão de emoções, entre elas a vontade de a agarrar e nunca mais a deixar sair de ao pé de mim. Agora sim, este momento era perfeito.

- Seth? – Perguntou.

- O que foi?

- Como é que estás tão quente? Está um frio de rachar.

- É como já tinha dito. As pessoas que moram aqui estão habituadas.

Cheguei-a mais para mim. Não sei se abusei um pouco, mas ela não se mexeu, logo parece ter gostado. Cheirava tão bem…

Finalmente chegámos ao pé da fogueira onde estava o resto da alcateia com as devidas marcações, e os membros do conselho – entre eles a minha mãe.

- Tens a certeza que não estou aqui a mais? Isto parece muito… familiar – disse Alyson.

- Não. Acredita, é bom estares aqui.

Sentámo-nos à volta da fogueira, Alyson encostou-se a mim, e notei na cara da minha mãe que não estava muito feliz por ela estar aqui. Só gostava de saber porquê. Ela nunca se importou que os membros da alcateia trouxessem as marcações…

Enquanto contavam as lendas da nossa tribo, os Quileutes, via que ia crescendo um brilhozinho nos olhos de Alyson. Se ela gostasse das histórias facilitava tudo um pouco mais. Talvez aceitasse melhor aquilo que sou.

Quando as histórias acabaram, Leah e a minha mãe juntaram-se a nós, enquanto o resto do grupo estava na conversa.

- Então, que achaste das histórias? – Perguntou a minha irmã a Alyson.

- Gostei muito – respondeu-lhe, com um sorriso nos lábios – Tenho que admitir, daria um filme lindo.

A minha mãe contorceu-se. Não estava a gostar nada do rumo da conversa.

Decidi mudar de assunto.

- Então, sei que não é o tipo de festa que estavas à espera, mas mesmo assim, como foi? – Perguntei, também a Alyson.

- Foi melhor do que estava à espera na verdade – disse-me.

- A sério? – Perguntou a minha mãe, indignada – Mesmo sem as bebidas? Porque pelo que sei, tu não te consegues divertir sem elas.

Vi o rosto de Alyson endurecer e olhei para a minha mãe com uns olhos matadores. Comecei a tremer, mas Alyson olhou para mim e senti uma grande necessidade de parar. A minha mãe recuou. Sabia que se me transformasse alguma coisa iria correr mal.

Como é que se atreveu a acusá-la assim? Não a conhece de lado nenhum.

Sentia-me fora de mim, mas não ia atacar a minha própria mãe. Nunca.

- Tem calma mano – disse-me Leah.

20 comentários

Comentar post

Pág. 1/2