Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Spotlight

por Andrusca ღ, em 05.12.10

Isto é tipo eu com o chocolate: olho e penso "não comas" mas depois quase que o ouço dizer "come-me, come-me" e não consigo dizer não -.-'

Isto de postar os dois capítulos no mesmo dia é igual -.-'

Eu bem tento, mas como gosto que vocês gostem (foi confuso?) ainda me sinto com mais vontade de postar e depois pumba...

Enfim... espero que gostem

Beijinhos

 

Capítulo 10

Confusão

 

Alyson

 

A festa estava a correr lindamente. As histórias da tribo de Seth eram esplêndidas. Quando acabou, Leah e uma mulher mais idosa juntaram-se a nós. Era a mãe de Seth. Não sei porquê mas senti uma grande necessidade de lhe agradar. Mas o que é que se está a passar comigo?

Ela não parecia gostar de mim, e quando disse que tinha gostado da festa foi a gota de água…

- A sério? – Perguntou a sua mãe, que parecia indignada – Mesmo sem as bebidas?

A minha cara deve ter ficado séria mesmo sem eu querer. A verdade é que não representava muito bem quando a questão era esta. Sim, já tive um passado com as bebidas. Um passado do qual não me orgulho.

Seth pareceu ficar pior que eu, e começou a tremer. Será que finalmente ficou com frio? Olhei para ele e pareceu melhorar, tremia menos. Estranho. Quando voltei a olhar para a mãe dele, ela tinha dado um passo atrás.

- Tem calma mano – disse Leah, a Seth.

Calma? Calma porquê? A pergunta…. ou melhor, acusação, tinha-me sido feita a mim. E no entanto Seth parecia estar prestes a explodir.

E não pareceu melhorar com as palavras da irmã.

- Não faz mal Seth – disse-lhe – Ela até tem razão…

- Mãe – disse Seth, com um tom chateado.

- Hey, esquece – disse eu – Não faz mal.

Ele respirou fundo e pareceu acalmar-se. Só agora notei o silêncio que se instalara e percebi que todos nos observavam.

- Estás bem? – Perguntou Sam, a Seth.

- Sim, desculpem – disse Seth, já mais calmo.

- Eu não queria descontrolar-te filho – disse-lhe a sua mãe – Só disse o que achei que tinha que dizer. Tens que compreender que…

- Mãe, é melhor parares aí mesmo – disse-lhe Seth.

- Mas Seth, achas mesmo que…

- Mãe! – Assustei-me com o grito que Seth largou e dei um pulo. Fiquei a olhar para ele horrorizada. Estava completamente fora de si e tremia por todos os lados.

 

Seth

 

Estava completamente fora de mim. De certeza que se não tivesse Alyson ao meu lado já me tinha transformado. Mas quem é a Sue Clearwater para dizer seja o que for da razão de eu existir? Mas quem é ela para pôr em causa tudo e mais alguma coisa? É minha mãe, mas e depois? Isso não lhe dá o direito de dizer o que eu sei que ia dizer. Ia dizer que Alyson não servia para mim. Ia dizer que não era boa o suficiente.

Comecei a tremer cada vez mais. Se não me acalmasse depressa iria transformar-me. Mas Alyson estava ao meu lado. Não podia arriscar magoá-la, nem que descobrisse que sou lobo, não ainda.

Ela olhava para mim horrorizada, como se tivesse medo de mim.

Tirei os olhos da minha mãe antes que me descontrolasse de vez. Era o melhor para todos.

- Seth… - disse a minha mãe, pondo-me de novo a tremer. Nem ouvir a voz dela podia.

- Sue basta! – Ouvi Sam dizer, com aquele tom autoritário – As pessoas que o Seth trás ou não trás são da conta dele. Não tem que gostar, apenas respeitar.

- Mãe, por favor – ouvi Leah pedir.

- Não. Não! Ele tem que ouvir, tem que saber os riscos que pode correr e tudo! – Insistiu a minha mãe.

Não consegui ouvir mais. Estava no auge. Levantei os olhos para Alyson e vi que ela me observava com aqueles olhos cor do céu. Não sei como nem porquê, mas pareceu ler na minha mente aquilo que precisava para que não explodisse. Agarrou na minha mão e levantou-se. Levantei-me com ela sem qualquer esforço. Sem mais satisfações, mais palavras de qualquer género, caminhámos de volta ao bosque deixando a minha mãe a resmungar sozinha.

Já tínhamos andado um pouco em silêncio, já sem termos a mão dada, quando me comecei a sentir mais calmo.

- Desculpa – pedi – sobre tudo…

- Não faz mal, já devia estar habituada – deu um pontapé numa pedra.

- A minha mãe, ela… ela não pensa bem no que diz. Não te conhece, é só isso. E sobre mim, desculpa por me ter exaltado.

- Não faz mal, a sério. Além disso, ela só está preocupada contigo, é normal. Não quer que tenhas a mesma vida que eu tenho.

- Vá lá, não pode ser assim tão má…

Ela parou repentinamente e eu parei um pouco à frente e olhei para ela.

- Eu tenho dezassete anos e já estive na reabilitação três vezes – disse, com algum esforço – Mas não é segredo, nunca foi.

- O quê? – Ela? Em reabilitação? O quê?

- Eu costumava beber… muito. Comecei quando tinha quinze anos e… bem, sou uma actriz por isso escondia muito bem. A qualquer festa que fosse, bebia um copo. Mas depois vinha outro, e depois outro.

- Não precisas de me dizer isto Alyson.

- De todas as vezes que estive na reabilitação prometi-me que não iria beber de novo. Mas depois saía e… bem, bebia. Da última vez… - abanou a cabeça e vi que ficou com os olhos enlagrimados – Da última vez foi diferente. Quase que entrei em coma alcoólico. Por isso… prometi-me de novo que não ia beber de novo. E pretendo manter essa promessa.

- Alyson…

- Tu não lês revistas Seth, não sabias quem eu era, mas… não sou perfeita… tenho falhas, e não devias ficar chateado com a tua mãe por minha causa quando ela só quis o melhor para ti.

 

14 comentários

Comentar post

Pág. 2/2