Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Spotlight

por Andrusca ღ, em 19.12.10

Os comentários foram pouquinhos, mas eu já tinha dito que ia postar ainda hoje, por isso cá está.

Este capítulo dedico à Annie, porque foi ela a pedir ^^

 

Capítulo 28

Sanguessuga * Parte 3

 

Alyson

 

- Seth, por favor não – implorei – Eu conheço-o desde que tenho dois anos Seth. Por favor não o mates. Ele consegue esconder o que é. Consegue enganar os outros. Consegue representar. Ele é um excelente actor. E podia ir buscar sangue do hospital e… - agora já me atrapalhava com as palavras e elas saíam todas em cima umas das outras, enquanto as lágrimas também teimavam por cair.

 

Seth

 

Não conseguia ver Alyson neste estado. Desde os dois anos? Isso é tempo demais para o conhecer. Ele não pode desaparecer da vida dela assim, sem mais nem menos. Olhei para a alcateia e todos eles me fitavam. Sei que Sam pensava que se decidíssemos manter Tom vivo, e houvesse algum tipo de consequências, o peso delas cairia sobre mim. E eu também sabia disso. Mas era Alyson, era o seu melhor amigo desde que andavam de fraldas. Com que cara é que posso deixar que o matem?

- É bom que decidas depressa Seth – Pensou Jacob.

- Mas ele é um sanguessuga. Desde quando é que damos a escolher se morrem ou vivem? – Pensou Paul, irritado.

- Eu concordo – pensou Leah – Não podemos viver descansados se o deixarmos ir.

- Mas não o podemos matar! – Pensei, quase que num tom de grito – Não o podemos matar. E se lhe déssemos uma oportunidade? Talvez nos surpreendesse. Talvez…

- Seth! – Gritou Sam, através do pensamento – Eu sei que amas a Alyson, mas já sabes o que penso. Qualquer coisa que ele faça, qualquer sangue que derramar…

- Eu estou com o Seth – defendeu Quil – E até me posso dispor a controlar o dentinhos para ver se não acontece nada.

- Mas se acontecer alguma coisa, então matamo-lo – Exigiu Sam.

- Na hora – confirmei.

- Muito bem. Quil e Jacob, venham comigo. Seth e Jacob, não se mexam nem o deixem fugir – Mandou o nosso líder.

 

Alyson

 

Uma semana passou-se, e sinto-me cada vez mais agradecida a Seth por este ter convencido a alcateia a não matar Tom.

As gravações foram interrompidas por esta semana, dissemos que Tom estava doente, e precisava de recuperar.

A alcateia tem-no ajudado a aprender a ser este novo ser. Um vampiro.

Acho que ainda não caí bem na realidade, e muito menos ele.

Já se alimenta de sangue do hospital, e usa lentes de contacto por causa do vermelho vivo dos seus olhos, mas mesmo assim, e apesar de se conseguir controlar muito bem, a alcateia não parece nada confiante com a decisão que fizeram.

Têm controlado Tom de perto, nunca o deixam sozinho.

Mete-me um bocado de pena que a vida do meu melhor amigo ter sido assim virada de cabeça para baixo de um momento para o outro, mas ao menos sei que ele se vai adaptar. Ele tem que se adaptar.

Olhei para Seth, estava sentado no sofá e eu meio deitada, com a cabeça pousada no seu ombro.

Desejava poder estar com ele assim para sempre. Era o paraíso.

Ele parecia distante, preocupado, e eu sabia exactamente com o quê.

- Seth – ele olhou para mim – O Quil não está com o Tom?

- Está – respondeu.

- Então não te preocupes.

Desencostei a minha cabeça dele e pus-me no seu colo, com uma perna de cada lado, com as mãos na sua cara.

- Seth – voltei a chamar – Esquece-o durante um bocado.

- Mas Ally… se ele magoar alguém…

- Não vai magoar. Eu conheço-o. E conheço-te a ti. Concentra-te um bocadinho em nós em vez de nele, pode ser?

Ele sorriu e beijou-me.

- Só por um bocadinho – disse-me, no gozo, quando os nossos lábios se despegaram.

11 comentários

Comentar post

Pág. 1/2