Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Spotlight

por Andrusca ღ, em 20.12.10

Capítulo 29

Missão Difícil

 

Alyson

 

As gravações começavam amanhã, por isso decidi ir passar o dia à casa de Emily para lhe fazer companhia, visto que a alcateia tinha ido patrulhar. Odeio ficar assim sem o Seth.

Assim que entrei na sua casa, Emily sorriu-me e cumprimentou-me.

E então começámos a falar do seu casamento com Sam. Ela estava extasiada, como qualquer noiva.

E então ela fez-me um pedido, que ao olhar para aqueles olhos castanhos e reluzentes, e apesar de saber que me ia custar, não consegui recusar.

Emily pediu-me para ser uma das damas de honor, juntamente com Leah.

E o problema é que quem faz os vestidos e trata de tudo é a Sue, a mãe do Seth.

Ao aceitar isto, é o mesmo que entrar para uma batalha completamente desprevenida. A mãe do Seth odeia-me, não é segredo nenhum. E se antes não tinha motivos para o fazer, então agora sim, tem de sobra.

Mas não conseguiria fazer esta desfeita, especialmente a Emily.

Depois de aceitar e de ela me falar de várias coisas do casamento, o tempo passou a correr.

O sol estava-se quase a pôr quando saí lá de casa.

Sabia o que tinha que fazer, mesmo que corresse o risco de Sue me fechar a porta na cara.

Caminhei até casa de Seth e fiquei especada em frente à porta. O que diria a Sue quando ela a abrisse? É que para que o casamento corra bem, temos que conseguir estar no mesmo espaço sem começarmos a deitar faíscas, pelo menos.

Bati à porta e esperei enquanto ouvia os passos a aproximarem-se.

Quando a porta se abriu, e a figura de Sue apareceu, nem tive tempo para abrir a boca.

- O Seth não está – disse Sue, já a preparar-se para fechar a porta.

- Espere! – Pedi – Eu sei que ele não está… eu queria falar era consigo.

Ela abriu um pouco mais a porta e fez uma cara que não consegui perceber o que significava.

- Sobre o quê? – Perguntou.

- O casamento do Sam e da Emily. Eu sou uma das damas de honor e…

- Oh valha-me deus – murmurou.

- Sue, por favor, eu sei que você tem todos os motivos do mundo para me odiar, mas podíamos fazer um esforço para conviver, pela Emily.

A sua expressão aliviou-se e abriu a porta completamente enquanto me fez um sinal para entrar, ao que eu obedeci.

- Senta-te – disse-me, ao apontar para o sofá.

Mais uma vez, obedeci e ela sentou-se ao meu lado.

- O que é que me queres mesmo dizer? – Perguntou.

- Eu acho… não, eu sei que nós começámos com o pé errado. Desde o primeiro momento que a Sue me viu que me julgou logo pelo que lia ou via na televisão. E assumiu logo que eu ia magoar o seu filho.

- E…

- Espere – interrompi – Por favor, deixe-me acabar. Você assumiu logo que eu ia magoar o Seth… e estava certa. Mas isso não significa que eu seja má pessoa, porque não sou. A rapariga sobre a qual os jornalistas escrevem era eu… mas já não sou assim. Já não bebo, não faço noitadas… credo, acho que agora já me ia sentir incomodada por ter o sol fortíssimo a bater-me – ela franziu o sobrolho – O que estou a tentar dizer é que eu mudei. Não só porque conheci o Seth, mas porque percebi que não quero ser a pessoa na qual me estava a tornar. Eu amo representar, e até ao dia em que conheci o Seth, nunca pensei que podia amar algo mais. Mas estava enganada. Eu amo o seu filho mais do que amo representar. Sue… lamento imenso por o ter feito sofrer, e por também a ter feito sofrer com a nossa história, mas por favor, deixe-me mostrar-lhe que não sou má pessoa. Porque eu acho que se me conhecesse antes de tomar decisões precipitadas, até era capaz de gostar de mim.

- Diz-me só uma coisa. Mesmo sabendo que nunca morri de amores por ti, vieste na mesma. Porquê?

- Porque… porque apesar de o Seth não o dizer, eu sei que ele ia gostar que nos déssemos bem. E eu gosto dele, por isso quero-o feliz. Mesmo que significasse chegar aqui e você me fechar a porta na cara. E a Emily está a tornar-se uma boa amiga, tal como a Leah… então porque não Sue? Podíamos ao menos tentar.

- Não há nada que eu não fizesse pelos meus filhos.

- Eu sei.

- Acho que fiquei um bocado chocada, não esperava que o meu filho fosse encantar-se por uma actriz. Afinal, a tua vida é bem diferente da nossa. Não queria que se deixasse deslumbrar pelo brilho de Hollywood.

- Eu também não quero isso.

- Eu sei. Já percebi isso. Por isso peço desculpa pela maneira como agi para contigo. Podes perdoar-me?

Sorri.

- Só se a dona Sue me fizer um vestido bonito para o casamento.

Ela riu-se, e eu também.

- Está combinado – disse.

19 comentários

Comentar post

Pág. 1/2