Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Destino Amaldiçoado

por Andrusca ღ, em 01.03.11

Capítulo 24

O Casamento

 

Já, finalmente, me tinha curado da constipação e voltado à vida normal, ou como quer que a minha vida fosse. Luc andava super feliz por poder curar as pessoas e eu também pois assim não tinha que incomodar a Sue a toda a hora. Chelsea Mills tinha desaparecido de vez e embora eu tenha adorado essa fase, esta calma já me fazia falta.

- Temos um problema! – Exclamou Chad ao entrar na sala, terminando com a minha paz.

- O que é que se passa? – Perguntei.

- Eu tenho uma amiga, Shia Linc, que se vai casar.

- E isso é um problema porque…

- Porque ela convidou-me e eu não tenho par.

Desatei-me a rir.

- Tu? Não tens par? Chad, tu não ligas a compromissos, sei lá, arranja uma das miúdas lá do High Spot e assim já ficas com par.

- És capaz de ter razão.

- Claro que tenho, tens que relaxar mais.

- Estavas a meditar?

- Perguntas isso por eu estar sentada no chão de pernas cruzadas a ouvir música calma?

- Sim…

- Estava, mas agora já não dá mais. Estou nisto há quase uma hora.

- Tu precisas mesmo de arranjar um hobby.

- Eu tenho um, chama-se caçar demónios. Bem, não é bem hobby mas também serve.

Neste instante Luc entra na sala com uma cara de preocupação.

- Temos um problema. – Disse-me.

- Ai, ai. O que é que se passa?

- Uma amiga minha, Shia Linc vai-se casar e convidou-me.

Deixei-me cair em cima do sofá.

- Só podem estar a gozar comigo.

- Porquê? – Perguntou Luc, meio confuso.

- Porque o Chad disse-me exactamente a mesma coisa há cerca de dez segundos atrás.

- A sério?

- A sério mano. – Respondeu Chad.

- Olha, sabem quem é que vai casar? – Pergunta Sheilla, chegada do andar de cima.

- Deixa-me adivinhar. – Disse-lhe. – Shia Linc?

- Como é que sabias? – Perguntou-me.

- Sou uma bruxa lembras-te? – Perguntei-lhe no gozo. Ela ficou um bocado desconfiada.

- Bem, ela convidou-nos a todos. – Continuou Sheilla. – Diz que é no sábado e que não é muito formal.

- Este sábado? – Perguntou Chad. – Não era suposto ter muito tempo de antecedência?

- Sim mas ela só nos disse agora. Já está tudo tratado. Vejam lá quem levam meninos. – Respondeu Sheilla.

- Divirtam-se. – Disse-lhes eu.

- Tu é que podias vir comigo. – Disse Luc, sentando-se ao meu lado.

- Eu?

- Sim tu.

- Eu ir a um casamento contigo.

- Porque não? Somos amigos, certo?

- Sim mas… oh Luc, tu sabes que eu não adoro casamentos. Não é bem como eu planeava passar o sábado.

- Vá lá, o que é que te custa? – Perguntou Chad, sentando-se do meu outro lado.

- Tudo bem, eu vou. Mas digo já que me ficas a dever uma.

- Sem problemas. – Respondeu Luc, sorridente.

Sexta-feira à noite preparei logo o que vestir no sábado e fui-me deitar. Tive uma noite muito irrequieta, não sei se pelos nervos de ir a um casamento com Luc ou se por motivos mágicos. Acordei várias vezes durante a noite e custava-me imenso a deixar de dormir. Os meus sonhos proféticos já não se mostravam há algum tempo, o que me deixava descansar muito mais.

Acordei de manhã muito sobressaltada. Levantei-me e corri para o quarto de Luc.

- Posso entrar? – Perguntei, batendo à porta.

- Sim, entra.

Entrei e observei-o. Estava com uma camisa branca e umas calças pretas. Tinha o casaco do fato em cima da cama para vestir. Agora estava em frente ao espelho, a pôr o laço.

- Ainda estás de pijama? – Perguntou.

Olhei para o relógio.

- Já?! Deixei-me de dormir, não acredito. Bem, não interessa, a vossa amiga, a noiva, não vai ter um casamento muito bom… ela vai morrer Luc.

- O quê? Como?

- Não sei bem, só vi as pessoas à volta do corpo dela, mas de certeza que é demoníaco, se não fosse eu não sonhava.

- Pois, também acho. Mas nós vamos lá estar por isso vamos impedir que isso aconteça. Bolas! Eu desisto.

- O que é que foi?

- O laço. Não dá, acho que está estragado.

Dei uma gargalhada e cheguei-me ao pé dele.

- Fica quieto. – Disse-lhe, enquanto lhe fazia o laço. – Bem melhor assim. Que tal?

- Perfeito, obrigada. Onde é que aprendeste a fazer laços?

- Não te esqueças que cresci num ambiente sempre de festa e consequentemente, fatos, gravatas e laços. Não sei só matar demónios.

- Nunca pensei isso. Vá, vai-te lá despachar.

Fui para o meu quarto e vesti um vestido lilás clarinho, de alças, até um pouco abaixo do joelho com umas rendas no fim e calcei umas chinelas de salto alto com tiras, prateadas. Prendi o cabelo com uns ganchos e pus uns brincos compridos, de prata. Quando desci as escadas já estavam todos à minha espera. Afinal Chad decidira não levar par. Louis e Sheilla foram no carro deles com os pequenos e eu, Chad e Luc fomos no carro de Sue. Pelo caminho contámos tudo a Sue e Josh e quando lá chegámos contámos a Claire e Rick.

Entrámos na igreja e enquanto Louis, Rick e Josh se foram sentar, Claire, Sue, Sheilla, Luc, Chad e eu fomos ter com Shia que se estava a preparar numa sala. Sheilla quis contar-lhe a história verdadeira e ela não duvidou de uma palavra sequer, talvez pela sua cultura. Luc e eu estávamos encostados a um canto.

- Vocês não me disseram que era um casamento cigano. – Disse para Luc.

- Pensei que pelo nome fosses lá. – Disse-me Luc.

Shia Linc chegou ao pé de mim e examinou-me de alto a baixo. Ela tinha o cabelo preto, muito comprido, apenas preso à frente com umas molas, tinha basicamente a mesma estrutura corporal que eu e vestia um vestido de noiva lindíssimo.

- Já temos solução. – Disse ela em voz alta.

- Como assim Shia? – Perguntou Sue.

- A Joanna, é Joanna certo? – Perguntou, ao que eu acenei afirmativamente. – A Joanna tem o mesmo físico que eu. Ela pode-se passar por mim e quando o demónio atacar vocês matam-no e eu caso-me.

- Passar por ti? Como assim passar por ti? – Perguntei, um bocado confusa.

- Tu sabes, vestes o vestido e finges ser a noiva, és atacada e blá, blá, blá.

- Eu? Ser a noiva? Não, não… não, não, não… nem pensar. Além disso o teu noivo vai notar.

- Não vai nada, nós não nos conhecemos.

- Não se conhecem… e vão-se casar?

- É uma tradição muito antiga da minha família.

Após um quanto tempo a convencerem-se cedi, arrependendo-me assim que vesti o vestido. Encontrava-me agora sozinha naquela sala, cheia de enfeites de noiva e olhei-me ao espelho. O vestido era pérola e justinho ao corpo, até aos pés. Não tinha cauda e tinha umas rendas. Ao contrário dela, prendi o cabelo, fiz um carrapito. Estava nervosa, logo eu para fazer de noiva. Ouvi baterem à porta e pelo espelho vi Luc e Chad.

- Luc! – Exclamei, um bocado envergonhada.

- Uau, tu estás… esplêndida.

Senti-me a corar.

- Obrigado.

- Acredita não foi.

Ele parecia hipnotizado a olhar para mim.

- Luc? Querias dizer alguma coisa?

- Ah, sim. O casamento começa em meia hora. Estás pronta?

- Não muito, mas vou ficar.

- Bem, um dia tu vais fazer uma óptima noiva. – Disse Chad.

- Pois sim. – Disse, a fazer um esforço para não me rir.

- Estou a falar a sério. – Continuou. – E o homem que tiver a sorte de ficar contigo até vai ficar gago no dia do casamento.

Ri-me. Shia entrou e pediu para ficar um pouco a sós comigo. Sentou-se numa poltrona que lá estava e eu sentei-me ao lado.

- Estás bem? – Perguntei.

- Estou. Vai correr tudo bem. E tu?

- Um bocado nervosa.

- É natural.

- Desculpa intrometer-me mas tu vais mesmo casar com um homem que não conheces?

- Eu conheço, só nunca o vi. Já falámos ao telefone e por computador, apenas nunca vi como é que ele se parece. Eu amo-o como é, mesmo sem o ter visto.

- Isso parece um bocado impossível.

- Pois parece. Mas também é óptimo.

- Bem, fico feliz por ti.

- Deixa-me fazer uma pergunta… tu não gostas muito de casamentos pois não?

- Digamos que não sou do tipo de rapariga que sonha com o dia em que se casa.

- Talvez nunca tenhas estado verdadeiramente apaixonada. – Disse-me. Baixei os olhos e as memórias de Luc vieram-me à cabeça. – Ou talvez sim… o que é que aconteceu?

- Não resultou.

- Era amor verdadeiro?

- Era… mas acabou.

- Se era amor verdadeiro então não acabou. Se era mesmo real, vai voltar.

As palavras dela puseram-me a pensar. Falámos um pouco mais e passado um bocado Sheilla veio dizer que o casamento ia começar. Pus o véu, com quase quatro metros de comprimento e saí pela porta, começando a desfilar na igreja.

Lá à frente estava o noivo, Ranjo, que esperava a sua noiva, não a mim. Apesar de nunca se terem visto, ele deve ter notado que não era eu de quem ele estava à espera. O padre começou a falar e quando estava quase a chegar à parte do «Sim», ouvimos um barulho. Virei-me e vi lá um demónio que parecia de nível inferior. Os Connor conseguiram levá-lo lá para fora e destruí-lo sem muito alarido apesar de ele me ter mandado uma flecha, da qual me desviei. Depois de os Connor voltarem, acalmámos os convidados e eu cheguei-me ao pé do noivo, com Shia.

- A tua noiva está aqui. – Disse-lhe. – Não sou eu, mas acho que isso já tinhas calculado.

- Obrigado. – Disse-me, pegando na mão de Shia.

Shia e eu voltámos a trocar de roupa e o casamento decorreu com normalidade. Eles deram o nó e depois fomos todos para o copo-d’água. Dançámos, rimos e brindámos várias vezes. Quando Shia e Ranjo se iam embora para lua-de-mel, ela subiu para cima do palco para mandar o buquê. Eu estava encostada a um muro com Luc, Chad, Sue e Claire.

- Então, - Disse-me Claire. – Não vais tentar apanhar o buquê?

- Não tinha mais nada que fazer. – Respondi-lhe.

Estávamos a falar e eu estava a gesticular com as mãos. Senti uma coisa a parar em cima delas e vi o buquê. Tinha aterrado mesmo em cima das minhas mãos. Eles começaram-se a rir.

- Dizias que não te querias casar hã? – Dizia Sue.

- O quê? Mas como? Eu não o tentei apanhar… ele é que… ele é que veio ter comigo…

- Qualquer dia vemos a Jô a ir directa ao altar. – Brincava Chad.

- Parem de gozar! Não tem graça nenhuma. – Disse eu, meio aflita. – Isto é sério!

Houve uma grande troca de olhares entre mim e Luc, que me olhava apaixonadamente, como se tivesse um grande sonho prestes a concretizar-se.

 

Os comentários desceram tipo drásticamente.

Por isso amanhã só posto de tiver 13.

22 comentários

Comentar post

Pág. 1/3