Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Destino Amaldiçoado

por Andrusca ღ, em 03.03.11

Capítulo 26

De volta ao Secundário     

 

Desci as escadas e fui sentar-me no sofá. Era sábado de manhã e eu ia ter a minha reunião com os meus colegas do secundário no High Spot. Já não os via desde que saíra da escola, pouco depois de os meus pais morrerem e confesso que estava um bocado nervosa. Como é que estariam? Será que continuavam iguais? Será que os ia mesmo querer ver? Sei que depois de me afastar do meu grupinho popular me tornei uma pessoa melhor mas às vezes desejo não o ter feito, era tudo demasiado fácil, não haviam preocupações. O que é que eles iriam pensar de mim? Pior, e se eles não tivessem crescido de todo e continuarem umas crianças ricas e mimadas. Liguei a televisão para afastar estes pensamentos, pouco depois Chad chegou e começámos a falar.

- Então? Tu e o meu maninho estão juntos outra vez? – Perguntou-me. 

- Hã?

- Sim há uma semana vocês passaram a noite juntos.

- Deixámo-nos de dormir no sofá Chad. – Já estava admirada de não ter vindo com esta conversa mais cedo.

- Sim, mas cada vez que eu falo dele tu disfarças e vocês têm estado muito próximos.

- Isso não quer dizer absolutamente nada Chad.

- Pois sim, engana-me que eu gosto. Eu sei que ficaste cheia de ciúmes quando o viste no encontro com a outra rapariga e também sei que ficaste feliz por ele a largar para vir atrás de ti.

- Ok, vamos mudar de conversa.

- Vês?

- Vejo, e muito bem, por isso é que não uso óculos. Olha, tenho que ir às compras para arranjar um vestido para logo à noite, por acaso não me queres dar boleia até lá?

- Se tiver que ser.

- Tem. Espera aqui que vou só buscar a minha mala.

Chad levou-me até ao centro comercial e até lá ficou para me ajudar a escolher a roupa. Foi dificílimo achar um vestido que não me ficasse muito pomposo mas também não muito relaxado. Quando finalmente comprei o vestido já eram horas de almoço e eu tinha que ir ao High Spot para ver se estava tudo em ordem. Fomos a andar e a comer um cachorro quente. Chegámos ao bar e Chad ajudou-me com os últimos arranjos e pormenores quando ouvimos baterem à porta.

- Estamos fechados! – Gritou Chad.

A porta abriu-se e uma figura feminina entrou. Era uma mulher com a mesma idade que eu, tinha um cabelo loiro e muito ondulado e até um pouco abaixo dos ombros. Vinha com um fato preto, saia e casaco, e com camisinha branca. Reconheci-a de imediato, aqueles cabelos dourados e olhos azuis não deixavam sobra de dúvidas, era Meredith, a minha ex-melhor amiga do secundário. Meredith Hougtini-Crense era o tipo de rapariga que todos os rapazes queriam, bonita, rica, divertida, e por incrível que parecesse, todos os rapazes a tinham. Ela era a menina popular e a rainha má da escola, não podia ver uma pessoa um pouco mais desleixada em relação ao visual que quase que a matava. Apostava imenso nas roupas curtas e provocantes e era uma das pessoas mais falsas que já conhecera.

- Que óptimo sítio que arranjaste aqui Joanna. – Disse-me, forçando um sorriso e aproximando-se de mim e Chad.

- Obrigada… Meredith. – Respondi-lhe, desconfiada.

- Nem sei como é que escola te telefonou a ti para organizares isto em vez de me ligar a mim mas enfim… olha, eu e as meninas precisamos de nos sentar numa mesa… ali mesmo.

- Mas Meredith, esse é o único sítio que não pus mesas nem cadeiras.

- Então acho que te devias despachar. É bom ver que não mudaste nada Joanna, A saia preta e a blusa roxa ficam-te perfeitamente! – Disse-me, virando costas, dirigindo-se à saída. – Não te esqueças da mesa.

- Não te preocupes com isso. – Respondi-lhe.  

«Só espero que sejas atropelada» pensei.

Chad lá me ajudou a pôr a mesa no sítio que ela me tinha mandado e depois fomos para casa. Faltavam quatro horas e eu estava muito nervosa e sem entusiasmo nenhum, afinal, se me afastara deles, por algum motivo foi. Fui para o andar de cima e tomei um banho relaxante de espuma, depois fui para o quarto e vesti o vestido que comprara. Era roxo, cai-cai e justo e acabava um pouco acima do joelho, calcei as minhas habituais sandálias de atar à perna e fui para a casa de banho novamente, desta vez para me pentear e maquilhar. Fiz um rabo-de-cavalo para o lado direito e prendi-o com um elástico preto. Pus uma sombra lilás nos olhos e fiz o risco preto, pus blush e um batom avermelhado. Desci e comi, retoquei de novo a maquilhagem, ajudei a arrumar a cozinha e fui para o bar, com os Connor. 

Ainda não estava lá muita gente. Fui até ao bar e pedi uma cerveja ao bartender, Peter. Luc chegou-se ao pé de mim.

- Estás a beber cerveja?

- Sim porquê?

- Nada, só que não é normal, normalmente vais pelos martinis.

- Hei-de lá chegar. Por agora preciso de forças, vai ser uma longa noite.

Olhei para a porta e vi Meredith a chegar, com Sarah MontGory e Melissa Suctind.

- A começar agora. – Continuei. – Queres vir conhecer as minhas ex-amigas?

- Ui, estou tão entusiasmado. Mas vá, vamos lá.

Fomos ter com elas, que entretanto ocuparam a mesa que eu tinha mudado de lugar.

- Oh querida, já cá estás. Meninas vocês lembram-se da Joanna certo? – Perguntou Meredith às outras duas.

- Claro que sim. – Respondeu Sarah. Sarah era o tipo de miúda parvinha que ia atrás de tudo o que as outras diziam e faziam. Tinha o cabelo preto e muito liso e os olhos castanhos-escuros. Aparentemente não mudou nada. – Tu pareces óptima Joanna. Mas não tanto quanto nós claro! – Exclamou, rindo-se.

- Graças a Deus Sarah. – Respondi-lhe.

- Então, como é que tens estado Jô? – Perguntou Melissa. Melissa era a rapariga das fofocas, tudo passava por ela antes dos outros saberem e ela era uma submissa do pior, não tinha vontade própria nem respeito por ela mesma.

- É Joanna. E sim, está tudo bem. Olhem, este é o Luc é o… um amigo meu.

- Um amigo teu? – Perguntou Meredith. – Estranho, ele até é bonitinho, como é que se dá contigo?

As outras duas desataram a rir e eu mordi-me toda para não responder, mas Luc avançou.

- Ainda bem que me achas bonitinho. – Disse ele a Meredith. – Mas lembra-te, eu dou-me com ela, não é contigo, logo, talvez ela seja mais bonitinha que tu.

Ia dar uma gargalha mas contive-me, fazendo apenas um pequeno som. Meredith ficou sem palavras e Sarah e Melissa ficaram a encarar Luc.

- Bem, tu é que perdes. – Disse Meredith por fim. – Joanna, querida, traz-me um gin tónico por favor.

- E a mim uma caipirinha. – Disse Melissa.

- Duas. – Disse Sarah.

- Eu por acaso tenho cara de bartender? – Perguntei.

- Não vais querer saber a resposta. – Respondeu-me Meredith.

Respirei fundo e dirigi-me ao bar para ir buscar as bebidas para elas e depois tentar aproveitar o resto da festa. Luc foi ter com Chad, Sheilla e Louis. Pedi as bebidas e quando me ia a virar entornei uma por cima de um homem.

- Raios! – Exclamei logo de seguida, agarrando em guardanapos. – Peço imensa desculpa.

- Joanna? – Perguntou-me.

Quando finalmente olhei para ele reconheci-o, era Jack Gowen, o rapaz com quem namorara antes de os meus pais morrerem, o super mimado.

- Olá Jack. Perfeito modo de nos revermos. – Disse-lhe, num tom de voz um bocado negativista.

- É um reencontro perfeito.

- Ui então não é?! Anda lá, eu ajudo a limpar isso.

Fomos até à sala que dava para os fundos e eu dei com um pano molhado na camisa dele até não se notar nada.

- Então, como é que tens estado? – Perguntou-me.

- Bem, e tu?

- Também… então e novidades?

- A história é sempre a mesma.

- Nem um namorado?

- Nem um namorado.

Conversámos durante mais um tempo até a camisa dele secar e depois ele começou a aproximar-se demasiado de mim.

- Estás aberta a opções românticas? É que só entre nós, eu acho-te uma mulher muito atraente. – Disse, a tentar beijar-me.

- Ei, ei, ei. Podes parar por aí. – Disse-lhe. – Eu não quero nada contigo, já me chegou uma vez. Eu entornei-te uma bebida em cima e trouxe-te aqui para a camisa secar, nada mais por isso podes tirar a ideia da cabeça.

- Vá lá, tu sabes que isso não é verdade, tu estás completamente doida por mim.

Dei uma gargalhada.

- Não estás mesmo habituado a que te digam que não, pois não? Ridículo. – Disse, rindo-me e saindo.

Fui buscar outras bebidas e levei-as às princesinhas lá do sítio.

- Aqui têm. – Disse, pondo-lhes as bebidas na mesa e ficando a agarrar o meu martini.

- Demoraste tanto tempo porquê? Não interessa, senta-te aqui connosco, conta-nos novidades. – Disse-me Meredith, puxando uma cadeira ao lado dela para me sentar.

- Meredith eu ia…

- Mas agora ficas connosco… vá lá, não sejas desmancha-prazeres.

Sentei-me e elas falaram imenso das vidas delas, Sarah já se tinha divorciado duas vezes e tinha o processo da terceira em tribunal, apesar de só ter 22 anos. Melissa tinha-se tornado uma estilista e desenhava as roupas que Meredith, como modelo, usava.

- Eu já viajei a tanto lado, sei lá, Paris, Londres, Milão, Moscovo… são todos sítios tão belos. Ah, e houve uma vez que fui almoçar com a Madonna enquanto estava a fazer um catálogo. Então e tu Jô, em que é que trabalhas? – Perguntou Meredith.

- Eu… não tenho um emprego por agora.

- A sério?! Então e namorados? – Perguntou Melissa.

- Solteira.

- Estranho… mas já deves ter ido a montes de sítios… certo? - Perguntou Sarah.

- Nem por isso. Já viajei por praticamente toda a América mas só isso.

- Pois… - Respondeu ela, com desagrado.

- Desceste bastante então, agora também te dás com falhados… - Disse Melissa.

- Desculpem. – Disse eu, levantando-me. – Eu vou buscar outra bebida. Até já.

Fui até ao bar e pedi outro martini. Agarrei nele e saí porta fora para apanhar um pouco de ar. Encostei-me à parede e passado um tempo ouvi uns passos e vi Luc a vir ter comigo.

- Então, como é que te estás a aguentar?

- Lá dentro estava quase a sufocar, precisava de apanhar ar. – Respondi.

- Eu calculei.

- Já reparaste que na nossa vida nunca fazemos nada?

- Como assim?

- Quer dizer… eu quero estar com pessoas e poder dizer que almocei com a Madonna, ou que estive em Paris, Milão e mais não sei aonde. Mas eu não faço nada disso. Eu não tenho um emprego, não tenho nada. Sou só uma rapariga com muitos milhões de dólares no banco que não faz nada. Aquelas pessoas lá dentro realizaram os sonhos, apesar de serem fúteis e mimadas, tinham sonhos e foram alcançados. Então e eu? Eu não sou nada.

- Claro que és. Tu és tudo Jô. Tu és melhor que a Madonna e não precisas de viajar ou casar não sei quantas vezes para seres quem és. Tu salvas pessoas. Sem ti no mundo, elas nunca estariam vivas para realizarem os seus sonhos.

Passado um bocado Luc voltou para dentro e passados segundos eu ouvi um barulho do outro lado da rua. Corri até lá e vi um homem a mandar bolas de energia a uma mulher.

«Simplesmente o que eu precisava mais hoje.» pensei, explodindo o homem, que voltou logo a seguir. Lutei com ele, tentando que ele se esquecesse da rapariga e se concentrasse em mim.

- Eu vou voltar. – Disse, desaparecendo.

Corri até à rapariga.

- Estás bem? Ele magoou-te? – Perguntei.

- Não. – Respondeu ela, toda a tremer. – Joanna?

- Como é que… Shania?

- Sim.

- Tem calma Shania, vai correr tudo bem, anda comigo, eu vou-te ajudar.

Levei-a para casa e expliquei-lhe tudo. Shania era outra antiga colega minha, comecei a dar-me com ela pouco antes de vir embora. Fiz uma poção que se encontrava no livro para destruir o demónio e esperámos por ele. Ele apareceu por trás, mandando Shania contra uma parede, mas eu aniquilei-o logo a seguir e corri para Shania.

Ela estava assustada mas visivelmente feliz.

- Obrigada Joanna. Salvaste-me a vida, nem sei o que teria feito sem ti.

De repente percebi. Eu não sou nada, eu sou muito, e sou um muito importante.

- Salvei não salvei? – Perguntei, rindo.

Ela jurou segredo e voltámos para a festa. Dirigi-me à mesa das princesinhas e os Connor estavam logo lá ao lado.

- Meredith! – Chamei, fazendo-a olhar para mim e, consequentemente, as outras duas. – Primeiro, os meus amigos não são falhados nenhuns e eu também não, só porque não viajámos de um lado para o outro ou não nos exibimos em revistas de moda não nos faz menos pessoas que aquilo que vocês as três, juntas, são.

- Desculpa, deves estar a sonhar não? – Perguntou Meredith, com ar de boa.

- Tu não és melhor que eu Meredith. És apenas diferente, mais fútil, mais parva…

- Quem é que tu pensas que és?!

- Tu começaste a namorar com o Jack há pouco tempo não foi? – Perguntei, inofensivamente.

- E se tiver começado?

- Então isso faz de mim a pessoa com quem o teu namorado te queria trair. – Respondi, sorrindo.

Ela ficou sem palavras e muito séria a olhar para mim.

- E já agora. – Continuei. – Parabéns pela operação, o nariz realmente fica bem melhor assim.

Os Connor estavam-se todos a rir a torto e a direito. Saí da festa e dirigi-me a casa, muito mais leve e com um sorriso enorme nos lábios.

 

 

Já sabem, 13 comentários ^^

15 comentários

Comentar post

Pág. 1/2