Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Together as One

por Andrusca ღ, em 06.04.11

E pronto, chegou ao fim

Não reli, peço desculpa pelos erros.

Espero que gostem

 

Capítulo 30

Happy Ending

 

Ellie

 

Saí do carro do meu irmão e corri directamente para os braços do meu namorado, que me apanhou e me rodopiou, beijando-me em seguida. Era um beijo envolvente, caloroso, cheio de amor, paixão e desejo. Era um daqueles que nunca queremos que acabe, mas que infelizmente acaba por acabar mais cedo ou mais tarde.

Hoje era o nosso primeiro mês de namoro, e eu mais feliz não podia estar.

Danny e Michael tinham ido à polícia confessar que tinham participado naqueles assaltos todos, devolveram as coisas roubadas, e com a ajuda do meu pai como advogado livraram-se da prisão e ficaram apenas obrigados a cumprir trabalho comunitário por três meses.

Boogy, Shane e Kevin, esses sim tinham apanhado uns bons anos de prisão, e na que estavam, duvido que conseguissem fugir. Tenho um bocado de medo de quando saírem, mas isso resolve-se daqui a dez anos.

Quando a mim, tal como planeava, a minha vida mudou e bem. Tinha apanhado o meu primeiro castigo por ter batido com o mercedes do meu pai no poste da luz: era escola casa, casa escola durante um mês inteirinho. Acabava amanhã, e a partir daí estava livre para passar todos os meus minutos livres com Danny.

Os meus pais tiveram uns dias de birra comigo, por lhes ter dito que não queria ser advogada, mas eu pouco me importei. Finalmente tinha decidido começar a fazer as coisas por mim, e a birra até lhes passou depressa e já se habituaram à ideia de que não podem mandar em mim para sempre.

O meu irmão clareou a garganta e Danny afastou os lábios dos meus lentamente, enquanto ambos sorriamos. “Michael, sou idiota, só sabes é estragar os momentos”, refilei, para dentro.

- Lá porque aceitei este namoro não quer dizer que concorde com poucas vergonhas em público – disse ele, dando uma pancadinha no ombro de Danny.

- Tudo bem, nós vamos guardá-las para quando estivermos sozinhos.

O meu irmão olhou para ele horrorizado e eu dei-lhe uma chapada no peito devagar. Pronto, agora é que Michael nunca mais se ia calar com isto!

- O quê?! – Disse ele – Vocês… e… oh puto, tem lá calminha com a minha irmã!

- Relaxa Michael – disse eu – Danny, ele nunca se vai calar com isto!

- Olhem que…

- Ainda não aconteceu nada meu, relaxa! – Interrompeu-o Danny.

É verdade; nós falámos e falámos, e decidimos esperar – aliás, mais ele que eu –, até eu estar pronta, visto ser a minha primeira vez e porque queríamos que fosse especial. E tenho a certeza absoluta que vai ser.

- Acho bem – disse Michael.

- Olá – disse Alyssa, chegando por trás de mim, com Trent e Rachel, que se dirigiu logo ao meu irmão, beijando-o.

Pois é, o meu maninho finalmente tornou-se um homenzinho e resolveu ir pegar o que o fazia feliz. Finalmente disse à Rachel que queria que fossem exclusivos e ela aceitou, e apesar de à frente dele não mostrar ligar muito ao assunto, quando me contou estava completamente histérica. Era engraçado ver o meu irmão assim todo carinhoso quando estava ao pé de Rachel e depois armar-se todo em macho quando ela não está.

Olhei para Alyssa, de mãos entrelaçadas nas de Trent. Ele finalmente tinha arranjado coragem para lhe dizer que estava apaixonado por ela há dois anos, e ela disse-lhe que também gostava dele.

Respirei fundo, estava tudo bem, estávamos todos felizes.

Ahh, mais uma coisa. Kath disse-me que no novo ano escolar vem estudar para a minha escola, finalmente conseguiu convencer os pais a deixarem-na sair do colégio, e eu não podia estar mais feliz por ter a minha melhor amiga de novo comigo. Ela ia gostar disto, tenho a certeza absoluta que sim.

Olhei para Danny, que me sorriu. Conseguia-me ver reflectida nos seus olhos, também eu sorria. A minha expressão era de pura felicidade, e melhor não me podia sentir. Estava a viver a melhor época da minha vida. E estava ao lado dele.

Agora sim, tinha a certeza do que era melhor para mim. Era ele. Sempre. Eu amo-o e ele ama-me, e isso é a única coisa que preciso de saber para viver feliz.

 

Danny

 

Ela olhou para mim e ambos sorrimos. Sabia no que pensava, também eu o pensava.

Ela era a minha vida, e de pensar em tudo o que fizemos para podermos finalmente ficar juntos, pelo que passámos para chegarmos a este momentos, só conseguia sentir-me ainda melhor.

Sim, houve momentos em que desejei desaparecer. Momentos em que recusei o que sentia, momentos em que ela recusou o que sentia. Momentos em que ambos nos armámos em idiotas e casmurros.

Mas eu sabia que ela seria para sempre parte de mim. Ela era a minha miúda, era a minha namorada. A miúda que eu amava mais que a mim próprio, a miúda à qual eu daria o mundo se pudesse.

Ela era a miúda que perdoou todas as minhas asneiras e que apesar de ter feito muita porcaria continua a amar-me.

E isso apenas chegava-me para ser feliz.

Desde que a tivesse ao meu lado, estava completo.

- Amo-te – disse-lhe, alargando o sorriso.

Ela também o fez, e os seus brilharam mais. Eles faziam isto cada vez que eu proferia esta palavra tão simples, mas tão cheia de significado e sentimento.

- Também te amo – declarou, chegando de novo os seus lábios aos meus, fazendo-me uma vez mais desejar que o tempo parasse apenas para ficar assim com ela para todo o sempre.

Mas não era preciso, tínhamos uma vida inteira à nossa frente.

Nós não íamos a lado nenhum. Íamos ficar aqui. Íamos ficar juntos. Íamos ficar felizes. E íamos ficar assim para sempre. Estávamos finalmente juntos como um só.

 

Fim

 

Vou estar fora o dia todo, por isso quem postar caps que me avise, sff

 

31 comentários

Comentar post

Pág. 1/3