Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Love Between Changes

por Andrusca ღ, em 14.04.11

Capítulo 12

Baile de Regresso ao Lar

 

Jenny estava reticente à entrada do ginásio, eu conseguia compreendê-la, e foi por isso que lhe dei a mão e a incentivei a andar. Logan ia ao nosso lado, a acompanhar o nosso passo lento – por causa de Jenny –, e parecia calmo. Olhou para mim quando olhei para ele e sorriu-me. Aquele sorriso… “controla-te rapariga, por amor à santa”, discutiu o meu cérebro.

- Estás linda – disse, a Jenny, quando estávamos prestes a entrar –, és linda, não te esqueças disso.

Ela apenas assentiu que sim com a cabeça e respirou fundo. Abrimos a porta e entrámos para aquele ginásio tão bem decorado e tão festivo. A música estava no ponto perfeito, e as dezenas de alunos que dançavam também pareciam achar isso. Havia uma mesa onde tinha bebidas sem álcool e alguns aperitivos.

Quando entrámos quase todos os olhares se viraram para nós. Não, para nós não… para Jenny.

- Porque é que estão todos a encarar? – Perguntou ela, baixinho.

- Porque estás fantástica – respondi – Anda lá.

Abrimos caminho por entre as dezenas de queixos caídos e avistámos o nosso grupo lá ao fundo.

- Não quero ir para lá – disse Jenny.

- Olha para a Amy – ela obedeceu e eu também o fiz – Estão tão melhor que ela… não gostavas de ao menos a deixares ver-te assim? Não te ia fazer sentir melhor?

- Acho que vou beber qualquer coisa, eu depois vou lá ter – e dito isto, Jenny começou a afastar-se em direcção à mesa das bebidas.

- Ela não vai voltar – disse Logan.

- Eu sei… mas ao menos veio ao baile – encolhi os ombros – É uma vitória. Anda lá, alguém nos está a fuzilar com o olhar – Amy, claro, quem mais?

Ele revirou os olhos e começámos a dirigirmo-nos até ao grupo. Estavam todos quietos, menos Duke que estava a tentar engatar uma moça qualquer e Lucy, que estava a dançar.

- O que é que aconteceu àquela?! – Perguntou Amy, assim que chegámos ao pé deles.

- Quem? – Perguntei, a fazer-me de despercebida.

- Aquela… rapariga Jenny – disse ela, pronunciando o nome com desagrado. Olhei para Logan, nada.

- Queres dizer a irmã do Logan? – Perguntei, com o mesmo tom de voz desentendido.

- Sim, a irmã do Logan – disse ela – Ela está… diferente.

- Está perfeita, não achas? – Agora já falei com entusiasmo. Ela soltou uma gargalhada.

- Deve estar a sentir-se como uma verdadeira princesa… é pena ser o único dia em que se pode sentir assim – ai esta falsa mete-me cá uma raiva!

- Estou a notar medo, Amy? Sentes-te ameaçada, ou assim?

Mais uma vez ela riu.

- Por ela? Pff, por favor.

Fui buscar uma bebida e depois juntei-me às raparigas enquanto os rapazes estavam também a conversar sobre qualquer coisa que não me parecia nada interessante.

Estive um pouco ao pé de Jenny, que estava sentada numa das cadeiras também enfeitadas, mas depois voltei para ao pé do grupo. Fui reparando que durante o baile iam passando professores com uma caixa para pormos o nosso voto para Rei e Rainha do Baile, mas eu ainda não tinha posto o meu.

Estava ao lado de Amy e Lucy, entre as duas, quando senti alguém chegar-se por trás que identifiquei logo apenas pelo perfume.

- Danças comigo? – Perguntou, entre mim e Amy. Esta deu um guincho e virou-se para trás abraçando-se a Logan.

- Claro que sim, vamos! – Disse, a sorrir. Credo, consegue parecer ainda mais desesperada? Não, impossível.

- Não eras tu… – disse o Logan, mordendo o lábio, e a olhar para mim.

E só aí é que percebi.

- Eu? – Perguntei, ao que ele assentiu, desviando-se dos braços de Amy, que estava incrédula, e dando um passo na minha direcção – Logan não, eu…

- Só uma dança.

- Não quero dançar…

- Queres sim – agarrou-me na mão e puxou-me para a pista de dança, onde me juntou a ele e assentou uma mão na minha cintura, enquanto juntava a outra com a minha. A música não era nada mexida, muito pelo contrário, mas pelo menos não era nenhuma das românticas e lamechas. Ao menos isso.

Combinávamos a cada passo que dávamos, acho que nunca tinha dançado tão bem durante toda a minha vida, e isso fazia-me sentir bem. Após pensar bem, arrisquei-me a levantar os olhos do chão e a fitá-lo. Senti borboletas no estômago ao verificar que os seus olhos verdes também fitavam os meus, e só por isso tive que me lembrar vezes sem conta de que sem respirar não vivia.

- Ainda não te tinha dito que eras a rapariga mais bonita do baile – disse ele, calmamente, sorrindo em seguida mostrando aqueles perfeitos dentes branquinhos.

- Pára – pedi, tentando, sem sucesso, não sorrir. Não me sentia assim desde… bah, sei lá eu desde quando. Só sabia que não podia sentir-me assim, não era justo, não podia deixá-lo brincar comigo desta maneira, não merecia –, não venhas todo charmoso para cima de mim Logan.

- Quem, eu? Vá lá, eu sou o tipo que tinha porcos no jardim – ambos rimos e eu revirei os olhos em seguida.

- Nunca os vi – disse-lhe.

- Era uma maneira de falar, mas tu percebeste.

- Vês? Porque é que não podes simplesmente ser sempre assim?

Senti-o respirar fundo de contra ao meu corpo e em seguida mordeu o lábio.

- Nem sempre podemos fazer o que queremos, devias saber disso melhor que ninguém – disse.

- Mas temos sempre escolha; tu ensinaste-me isso.

Ele sorriu mas nada disse, e assim continuámos a abanar-nos ao ritmo da música com que nos brindavam.

Sem pensar muito encostei a cabeça no seu peito, ainda nem sei bem porquê, e respirei fundo. Queria que este momento durasse para sempre.

- Importas-te que tome o controlo por agora? – Ouvi. Logan largou-me e eu fiz o mesmo, ao ver Kevin a sorrir ao nosso lado. O momento maravilhoso tinha sido interrompido.

- Claro meu – disse Logan, a sorrir-lhe. Depois olhou para mim, e posso jurar que lhe vi mágoa no seu olhar – Ela é toda tua…

Largou-me e começou a afastar-se, enquanto Kevin ocupou o seu lugar e me ajudou a retomar a dança.

- Não gosto dele – desabafou Kevin.

- Pois… - foi tudo o que conseguia dizer, as minhas ideias estavam um bocado baralhadas no momento.

A música parou e como consequência todos olhámos para o palco. A directora da escola, Sra. Hoffstather, estava lá em cima com um professor que tinha em cima de uma almofada uma coroa de para o Rei, e uma professora que também tinha uma almofada, com uma tiara de Rainha.

- Raios! – Disse eu. Kevin olhou para mim – Eu esqueci-me de votar!

- Agora já não há nada a fazer.

Oh pá… eu ia votar na Jenny, e no Kevin… e com isto tudo da dança com o Logan, e da troca de palavras, e olhares, e sorrisos, esqueci-me completamente que o mundo continuava a rodar.

- E agora, sem mais demoras, vamos anunciar o Rei e a Rainha do Baile de Regresso ao Lar – disse a directora.

O meu grupo juntou-se todo a nós, e Jenny ficou um pouco afastada, mais ao lado. Kevin pôs o seu braço à volta da minha cintura e pude vê-lo a mandar um olhar a Logan, que nos fitava. “Isto vai dar barraca”, só me dizia a minha consciência.

- E o Rei é… - as baterias tocaram por breves segundos – Collin Gavin!

Bah, o Collin, que típico…

Collin subiu ao palco, todo risos e olhares, e o professor pôs-lhe a coroa na cabeça. Nem sei como é que coube, visto que o seu ego é gigante…

Fiquei decepcionada, sempre pensei que talvez este ano fossem escolher alguém diferente… alguém decente. Mas claro que não…

- E a nossa Rainha é… - de novo as baterias para dar suspense – Jenny Ferrel!

- Oh meu deus! – Gritei, com pura alegria, ao mesmo que…

- O quê?! – Gritou Amy.

Jenny subiu ao palco, toda encavacada e mais vermelha que nem um tomate, e a professora pôs-lhe a tiara na cabeça. Sorri-lhe e acenei-lhe, coisas que ela me devolveu. Estava tão orgulhosa de nós…

-… mas ela nem está nada de especial – reclamava Amy –, está só… é um vestido típico… e o cabelo? O meu está tão melhor… e ela é ela, vá lá! Eu sou eu, Amy! Estão cegos?!

Realmente há pessoas mesmo tristes.

Soltei-me do braço de Kevin e aproximei-me de Amy.

- Amy, não foste rainha o ano passado, porque é que ias pensar que ias ser este ano? – Perguntei, dando de ombros. Completamente verdade, eu tinha sido a rainha.

Ela ia-me responder, mas eu virei-lhe costas e fui ter com Jenny que estava a descer do palco.

- Não acredito nisto! – Disse-me ela. Eu abracei-a e dei-lhe um beijo na bochecha.

- Vês? Eu sabia que isto ia acontecer! – Exclamei. E nem sequer tive que votar nela, foi incrível.

- Obrigada – disse-me ela, abraçando-me de novo.

O resto do baile foi só fachada, Amy queixou-se o tempo todo, Logan e Kevin estiveram numa troca de olhares constante que me metia medo, e Collin passou o tempo todo a mexer na coroa. Parece que o ego ainda tinha aumentado, como se tal fosse possível.

Quando eram quase duas da manhã decidi que estava na hora de vir embora, por isso despedi-me de todos e saí em direcção ao carro.

- Daph! – Ouvi, o que me fez parar. Voltei-me para trás e vi que Logan corria na minha direcção. Esperei que me alcançasse – Posso-te chamar Daph, certo? Sei que é para amigos mas…

- O que é que queres Logan? – Perguntei, sorrindo.

- Eu tenho uma pergunta – engoliu em seco; não vinha daí coisa boa – e gostava mesmo muito que me respondesses…

- Ok…

- Nas Passagens de Ano, não me lembro de falares do Kevin…

- Provavelmente não falei, porquê?

- O que é que há entre vocês? Tu e o Kevin?

- Nada…

- Vá lá Daph, toda a gente consegue ver que não é nada.

- Tu tens uma lata Logan – disse-lhe. Realmente tem, mas é que é muita mesmo – Tu podes andar com a Amelia tudo o quanto quiseres, mas se eu tenho um amigo de quem até gosto vens-me com perguntas dessas? Não há nada entre mim e o Kevin, mas mesmo se houvesse, não tinhas nada a ver com isso! Tem uma boa noite.

Entrei no carro e comecei a conduzir em direcção a casa.

41 comentários

Comentar post

Pág. 1/4