Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Love Between Changes

por Andrusca ღ, em 17.04.11

Capítulo 19

Apenas um Sonho

 

A boca do meu professor mexia-se mas eu não conseguia ouvir o som que saía lá de dentro. Via tudo em câmara lenta, estava a ser a aula mais aborrecida de toda a minha vida. Tudo bem que nunca gostei de Geometria, mas esta aula batia a outras todas no que diz respeito ao aborrecimento. Pousei a minha cabeça sobre os braços, na mesa, e aos poucos sentia os meus olhos a querer fechar, mas lá ia combatendo essa vontade. Mas era tão difícil…

- Pss, Daph – ouvi. Virei-me para trás e vi Kevin que olhava para mim – O que é que tens?

- Sono – respondi. Ele abanou a cabeça e eu voltei à posição de repouso em que estava antes.

Não sabia o que se andava a passar comigo… não andava a dormir bem, estava nas aulas quase a morrer de sono, mas depois à noite ele desaparecia por completo. Segundo a minha mãe é por andar nervosa por alguma coisa. Mas esse é que é o problema, eu não ando nervosa. “Mentirosa”, disse-me a minha consciência. Tudo bem, o Kevin e o Logan têm-me enchido a cabeça dia e noite, mas não é razão para ficar sem sono, certo?

O que vale é que esta é a última aula e hoje já é sexta-feira, amanhã é que vou dormir até tarde.

As pálpebras pesavam mais e mais e mais, até que as minhas forças se acabaram e finalmente as deixei repousar, levando-me directamente para um mundo de sonhos.

 

- Daph, onde estás? – Perguntou ele.

- Na casa de banho! – Gritei-lhe.

- Sai lá daí, eu quero ver-te – disse, com aquela voz super amorosa com que sempre me brindava. Eu derretia-me toda cada vez que o ouvia falar assim para mim.

- Já vou, dois minutos.

Acabei de ajeitar o meu cabelo e vi-me de novo ao espelho, o meu vestido bege clarinho e curto assentava-me que nem uma luva, e o meu cabelo apanhado num carrapito também estava bem.

Sentia-me nervosa, não sabia onde ele me iria levar, apenas me disse para me arranjar bem pois iríamos a um sítio especial. Dei por mim a sorrir feita tonta a olhar para o espelho. Ele estava comigo.

Saí da casa de banho e nem tempo para respirar tive antes de ser apanhada pelos seus lábios, que me beijaram de uma maneira urgente, como se não me visse há dois séculos no mínimo.

- Amo-te – proferiu, com a sua testa junto à minha, enquanto me deixava emergir na imensidade de verde dos seus olhos.

- Também te amo tosco – disse-lhe, sorrindo-lhe.

Logan agarrou na minha mão e começou a dirigir-nos para a saída da casa da minha bisavó, onde estávamos, e começámos a caminhar pela aldeia.

- Onde vamos? – Voltei a insistir.

- Bolas, tu és chata – disse ele, brindando-me com aquele sorriso.

- Vá lá amor, quero saber.

- E vais saber – olhou para mim e piscou-me o olho –, quando lá chegarmos.

Só de ir assim, de mão dada com ele, ficava com borboletas na barriga. Ele era o meu sonho, a minha vida, tudo. É com ele que quero estar, é com ele que sonho, é ele quem amo. Quem sempre amei, mesmo sem saber. E quem, posso afirmá-lo agora com todas as certezas, sempre amarei.

Ele parou pouco antes de uma curva, e fez-me parar a mim também. Pôs-se à minha frente e agarrou-me em ambas as mãos ao mesmo tempo que me olhou nos olhos.

- Estás feliz assim? Aqui comigo, na aldeia? – Perguntou.

- Desde que esteja contigo sou feliz em qualquer sítio – afirmei.

Ele sorriu.

- Hoje é uma noite especial. Véspera de Ano Novo. E nós temos um sítio para a passar.

Largou-me apenas uma mão e recomeçámos a andar, fazendo a curva. À nossa frente estendia-se um enorme descampado, que outrora não tinha nada além de areia e poucos bocados com relva, mas agora se encontrava cultivado de flores de uma ponta a outra. Tinha luzes também, que expeliam a escuridão da noite para bem longe, e cheirava a Natureza.

- Logan! – Exclamei, completamente maravilhada – Isto está tão perfeito…

- Tal como tu – murmurou-me, ao ouvido.

Abraçou-me por trás e pousou o queixo no meu ombro, observando comigo o nosso lugar. Isto era melhor que um conto de fadas. Qual Cinderela qual quê.

- Quem me dera ter feito e dito tudo isto antes – disse ele. Conseguia ver a dor nas suas palavras, a mágoa.

Voltei-me para ele e pus ambas as mãos na sua cara, sorrindo-lhe em seguida.

- Achas mesmo que isso importa? – Perguntei. – Estamos aqui os dois. Estamos juntos.

- Eu sei mas… - suspirou – se te tivesse dito antes o quanto de amava, certas coisas nunca teriam acontecido…

- Foste bastante idiota e estúpido, sim. Mas eu amo-te da maneira que és.

- Também te amo.

Deu-me mais um beijo que me fez ir ao céu e voltar e depois sentámo-nos à espera que a hora chegasse. Iria haver fogo-de-artifício como todos os anos, e no segundo em que chegasse a meia-noite, beijar-nos-íamos e trocaríamos votos de um amor eterno. Pois era isso mesmo que tínhamos. Um amor intemporal, algo que duraria para sempre.

Arrisquei-me a olhar para a sua expressão, que também me fitava com os olhos a brilhar.

- O que foi? – Perguntou-me.

- Logan… amo-te.

 

- Menina Daphne! – Levantei a cabeça de repente da mesa, num pulo, ao ouvir esta voz. – Já não basta passar a aula inteira a dormir como ainda se mete a sonhar alto?!

A sonhar alto? Será que disse alguma coisa que não devia?!

Olhei para Kevin que me olhava de uma maneira estranha, e por momentos não soube o que pensar.

- Desculpe Sr. Ungli – pedi.

- Peça os trabalhos de casa a um colega. Podem sair. – Disse ele.

Arrumei as minhas coisas ainda meio a dormir. Não acredito que adormeci a meio da aula. Pior! Não acredito que tive um sonho destes. Ainda por cima com o Logan… mas a parte triste é que desejava não ter acordado. Respirei fundo, tinha sido apenas um sonho, não me podia deixar deitar abaixo por uma coisa tão irreal quanto isso.

- Podemos falar? – Perguntou Kevin, ao parar ao pé da minha mesa.

- Claro – respondi, tentado ao máximo esconder a curiosidade que me atingia. Será que disse alguma coisa de mal em voz alta enquanto dormia?

 

O que será que o Kevin quer? :o

Se conseguir logo deixo-vos sneak peek ^^

16 comentários

Comentar post

Pág. 1/2