Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Together as One - The Second Part

por Andrusca ღ, em 01.05.11

Capítulo 14

O Tempo

 

Ellie

 

Agora que a escola já tinha recomeçado, o que eu menos sentia falta era daquele toque irritante do despertador aos meus ouvidos logo pela manhãzinha.

Fui até à casa de banho e tomei um duche para depois me vestir.

Estava-me a pentear quando bateram à porta do meu quarto e poucos segundos depois vi a cabeça de Michael a espreitar para dentro da casa de banho.

- Bom dia – disse-lhe –, então, caíste da cama?

- Quem me dera – respondeu, um bocado cabisbaixo.

- O que é que se passou?

- Quase que nem preguei olho esta noite.

- Eu percebi essa parte – meti o pente dentro da gaveta e depois dirigi-me para a minha cama, onde comecei a pôr os livros dentro da mala – Quis dizer, o que é que se passou para te ter deixado assim tão mal.

- A Rach… ela… nós demos um tempo.

- O quê? – O quê?! Coitado do Michael, ele deve estar péssimo, apesar de fazer muita porcaria, nota-se a léguas que gosta mesmo dela. Mas a Rachel também o ama, e se decidiu pedir-lhe um tempo não foi de ânimo leve e também está a sofrer.

- Sim – disse ele.

Voltei-me para ele e dei-lhe um sorriso pequenino.

- O que é que aconteceu? – Perguntei.

- Foi culpa minha. Eu… menti-lhe.

- Sobre?

- A Felícia.

Felícia… eu sabia que esta ainda vinha dar problemas. Como se não chegasse intrometer-se na minha relação com Danny, ainda teve que se meter entre o meu irmão e uma das minhas melhores amigas.

- Pois – ele viu pelo meu tom de voz que não tinha gostado nada que essa estivesse metida no meio da confusão.

- Não foi nada disso – disse-me – Eu só não lhe disse que tinha estado com a Felícia durante as férias, nada demais.

- Vocês vão resolver isso – disse-lhe eu – Desde que pares de te armar em estúpido por causa dessa – lançou-me um olhar matador e pensei logo que não podia dizer o que tinha pensado – tua “amiga”, vocês ficam bem. Mas ela está magoada por lhe teres mentido, é normal Michael.

- O que é que eu faço? A sério, é que eu estou completamente à nora.

- Mostra-lhe o quanto a amas.

- Isso é fácil dizer.

 

Danny

 

Quando cheguei à escola a minha princesa ainda não tinha chegado, só vi Kath e Alyssa e por isso fui ter com elas.

- Então, tudo bem? – Perguntaram-me.

- Claro, de volta a esta maravilha, não havia de estar? – Espero sinceramente que tenham percebido o meu sarcasmo.

- Sabes do Michael e da Rachel? – Perguntou Kath.

- Não, o que é que se passou? – Michael não me tinha falado de nada, logo deve ser uma coisa recente…

- Eles…

- Bom dia! – Alyssa foi interrompida pela voz estridente de Felícia, que apareceu por trás de nós e me teu um beijo na bochecha – Tudo em cima?

- Esquece – disse ela –, nós depois falamos.

- Pois… - disse Kath – Até depois Danny.

Sempre que Felícia aparecia, o resto do mundo ia-se embora. Elas não se davam nem um bocadinho, o que era mau. Muito mau.

Estivemos na conversa um bocado até avistarmos o carro de Michael a estacionar. Ele e Ellie dirigiram-se a nós e Ellie só não começou a pegar fogo porque estava em público. Eu sabia o quanto ela detestava ver-me com Felícia, e é por isso que nunca lhe digo quando me encontro com ela e essas cenas. Quero evitar zangas e cenas de ciúmes. É o melhor. Mas é claro que há vezes, com agora, que não dá para não lhe dizer.

- Bom dia – disse Ellie, claramente só a olhar para mim, dando-me um beijo em seguida.

- Bom dia – intrometeu-se Felícia.

- Olá – Ellie só lhe disse isto para ser minimamente simpática, via-se que não estava minimamente interessada em manter com uma conversa com ela.

Michael nada disse.

- Amor, podes entreter a Felícia? – Pedi-lhe, ao ouvido – Preciso de falar com o teu irmão.

- O quê?! Mas é que nem sonhes. – disse-me.

- Felícia, a Ell quer falar contigo, ok? – Disse, sem ligar ao que Ell me tinha dito.

- Claro, porque não? – Felícia revirou os olhos e deitou um sorriso falso a Ellie. Estas duas nunca se vão entender, está visto.

- Odeio-te – sussurrou-me Ellie, antes de começar a andar com Felícia ao lado.

- Também te amo – respondi-lhe.

 

Ellie

 

Ainda não consegui acreditar que tive que levar com a Felícia durante o tempo antes de as aulas começarem. Só espero é que tenha dado para alguma coisa, porque senão acho que corto os pulsos.

Entrei para a sala e vi Rach sentada sozinha numa mesa, lá para trás, e fui ter com ela. Ainda faltavam alguns minutos até tocar, por isso além dela, a sala estava completamente vazia.

- Oi Rachel – disse-lhe, sentando-me ao seu lado – Já sei o que aconteceu… como é que estás?

- Mal – mesmo assim tentou lançar-me um sorriso, que fez apenas com que eu me inclinasse e a abraçasse. – Obrigada Ellie.

- Não agradeças. Dar abraços, é para isso que cá estou. Vais ver que as coisas vão melhorar, vocês vão ficar bem.

- Eu acho que ele não me ama – disse-me, largando-me – O Danny diz-te que te ama?

- Diz – a toda a hora.

- Pois, acho que o Michael só diz isso quando fazemos… tu sabes. E acho que é apenas por causa disso. Acho que ele não me vê como nada mais.

- Isso não é verdade – sorri-lhe – O meu irmão nunca foi bom em expressar os sentimentos Rach, mas eu conheço-o, e ele ama-te. Isso, eu sei.

 

Danny

 

Faltámos à primeira aula só para prepararmos isto tudo para que Michael resolvesse as coisas com Rachel, e quando vimos as miúdas irem sentar-se na mesa habitual, no bar, estava na hora.

- Meu, eu acho que não consigo – disse Michael, que tremia por todos os lados.

- Mas tu queres a Rachel de volta ou não?! – Eu já me estava a passar com ele, depois deste trabalho todo não o ia deixar desistir. – O problema, pelo que me disseste, foi não lhe teres dito que ias ter com a Felícia, mas já pediste desculpa. O outro problema é não lhe mostrares o quanto gostas dela. Com isto, o problema fica resolvido, estás à espera do quê?!

- Mano, está meia escola ali ao pé. Nem sonhes. Não quero.

Dei-lhe um calduço e ele fez-me cara de mau, mas não dissemos mais nada. Passei-lhe o ramo de rosas para as mãos e empurrei-o para o bar.

- Pessoal, atenção! – Gritei, virando todas as atenções para nós – Boa sorte amigo – dei-lhe uma palmadinha no ombro e dirigi-me à mesa, sentando-me ao lado de Ellie.

- O que se está a passar? – Perguntou-me, baixinho.

- Dá-lhe tempo – respondi.

Olhei para Michael que estava mais nervoso que sei lá o quê, e ele lá deu dois passos em direcção à mesa.

- Rachel – disse ele, com a voz um bocado a tremer – eu… posso não… - parou e olhou em volta – Quando te conheci eu… e depois…

Credo, ele enterrava-se a cada palavra, mas depois voltou a parar e respirou fundo pela milionésima vez. Aproximou-se da mesa rapidamente e pousou nela as rosas, com força, em frente a Rachel.

- Sabes que mais? – Perguntou, claramente apenas dirigido a ela, sem prestar atenção a mais ninguém – Eu não te quero perder. Eu sei que tenho um problema qualquer marado em expressar como me sinto, mas Rach, isso não quer dizer que não o sinta. Apenas não sei como te mostrar que o sinto. Nada do que te faça vai alguma vez chegar perto de te fazer perceber o quanto te amo.

Olhei para Rachel e uma lágrima escorria-lhe pelo rosto. Esbocei um sorriso, tinha-me esquecido de como as raparigas choravam por tudo e por nada e como conseguiam ser tão lamechas às vezes.

- Por favor – continuou Michael – Rachel, por favor, perdoa-me por não te dizer todos os dias que és linda, por raramente te dizer que te amo. Aceita-me de volta. Imploro-te.

Ela limpou a lágrima e inclinou-se para lhe dar um beijo, sim, porque o maricas do meu mano já estava ajoelhado e tudo. A multidão bateu palmas. Quando se largaram ambos sorriram, e olhei para Ellie que sorria também.

- Porque é que nunca fazes coisas destas? – Perguntou, baixo, inclinando a cabeça para a pousar no meu ombro.

- Porque não sou maricas.

Ela deu-me uma cotovelada e eu sorri. Por ela eu fazia isto e muito mais, se fosse preciso.

24 comentários

Comentar post

Pág. 1/3